A Trilha sonora do Jeans

Lendas do rock vestiram jeans e o jeans vestiu-se com a atitude das lendas do rock. Uma união de imortais que resultou em uma verdadeira legião de seguidores de guitarras distorcidas e notas de transgressão fardados de azul í­ndigo.


Mas o rock não é a o único estilo musical que embala o segmento jeanswear – todas as melodias encontram-se reverenciadas nas coleções. Rasgos, pespontos, cores, shapes e aviamentos oferecem aos consumidores a possibilidade de vestir a sua própria trilha sonora e comunicar no dia-a-dia suas preferências musicais.


Para os consumidores que andam acompanhados da ideologia rastafári, a batida e as cores do reggae estão representadas na Red Oak nos pespontos decorativos dos bolsos frontais e traseiros em verde, amarelo e vermelho.


Nos jeans esburacados e forrados por malhas arrastão da Serfontaine, e nos rasgos da Diesel onde efeitos desfiados se confundem com pequenas correntes decorativas moram a agressividade e a anarquia do punk rock dos anos 70 e 80. Na Hans Boodt aplicações pesadas de metal e couro recordam essa proposta com nitidez ainda maior.


Nas caveiras presentes nos bolsos da Guess e Ed Hardy ecoa o som mais pesado do heavy metal.


Já a Lost Angle presta homenagens aos mais lendários representantes da história do rock: Jimmy Hendrix e Janis Joplin. Nomes que inevitavelmente remetem ao movimento hippie e ao festival de Woodstock.


Rostos e letras de músicas de ambos os artistas surgem enevoados como memórias insistentes estampando forros de casacos, bolsos traseiros e até mesmo decorando entrepernas.


Para completar a referência a época em geral, o sí­mbolo da campanha para o desarmamento nuclear – adotado como principal bandeira pelo movimento hippie – surge estampado em proporções discretas em algumas peças também da Lost Angle. Confira as fotos.

VIVIAN DAVID | FOTOS: EQUIPE GUIA JEANSWEAR