Agrupamento inspiracional com idéias e diálogos para o jeans

Leggins estampadas como um potencial complemento ao mix do segmento jeanswear, espaço maior para as calças cargo e para as interpretações no estilo militar, ripped e linguagem todo-o-dia inerente ao jeans migrando para as malhas, blacks diversificadas e sedutoras, e muito, mas muito couro. A menor incidência do denim constando como material principal na maratona de desfiles da semana de moda de Paris, como de praxe, não impediu que as coleções colocassem para o cenário global fortes diálogos e influências para enriquecer o universo denim.


Enquanto Chanel reverenciou o luxo na moda coloquial, através de conjuntos de malha com múltiplos detalhes rasgados em pleno supermercado, Isabel Marant, Acne Studios e Zadig Voltaire consolidaram o estilo militar e o visual da guerreira urbana como uma aparência desejo para o guarda-roupa atual. Na aparência bruta, o blue denim foi o foco da Jay Ahr, que salientou o acabamento cut off, os efeitos de desconstrução, e o zíper de metal como aviamento principal. Por fim, nomes como Miu Miu e Paco Rabane trouxeram temas bastante direcionais, como a indumentária college e o estilo esportivo inspirado no basquete.


No quesito estampas, tivemos menos animal print, e mais padronagens botânicas e exóticas. As listras largas em Paris, ganharam um sentido mais étnico, em detrimento da proposta grunge, que afirmou sua consistência, porém com menos aparições. Os florais, vieram mais gráficos e simplificados, incluindo as cores vibrantes da estação em fundo sóbrio. Tartans e padrão vichy em visual gráfico foram reafirmados, assim como as peles, porém em proporções menos excessivas, em conjunto com as demais aparências.


A calça de couro foi o grande consenso das coleções, mas em fit mais solto, e com frequência no cós elástico. A peça transitou também do fit super skinny ao cargo relaxado. Matelassês, transparências, plástico p/c colorido e capas de chuva complementaram as produções. Nossa galeria traz uma pequena amostra de cores, estampas e padrões, para então focar as coleções que apresentaram o denim e a linguagem do jeans como foco das interpretações. Desta vez dispensamos os tópicos, com o objetivo de proporcionar uma leitura de imagens insperacional.


ViVIAN DAVID / FOTOS: WWD