Alfaiataria e transparência reinam no segundo dia

Nesta quinta-feira (09.06), aconteceu no Museu Afro Brasileiro a segunda noite de desfiles da Casa de Criadores. Para aquecer o clima de uma fria noite paulista (os termômetros da cidade marcavam 10º), o evento contou com a participação de uma banda vinda diretamente do Congo, que abriu a passarela ao som de batuques.

Nos desfiles do projeto Lab, que se trata de um laboratório para os jovens talentos, Jacinto apresentou ótimas peças para o público feminino, com muita alfaiataria masculina desconstruída (como paletós que viram coletes e vestidos) e transparência. Os hits da temporada de Verão 2012, como as saias longas, também estiveram presentes.

Porém, o prêmio de destaque do projeto vai mesmo para a Juss. A marca de Juliana Souza traça um caminho de sucesso, afinal, a moça tem um bom feeling para adivinhar o que os garotos cool vão desejar na próxima estação. Para os dias de calor, looks minimalistas em linho colorido com leve transparência. O jeans aparece como ponto alto da coleção, e é explorado em diversas formas como os shorts curtos e com bolsos faca. Já em versão mais pesada, o denim ganha textura que remete ao tronco de uma árvore.

Dos nomes já consagrados do CdC, a noite é de Rober Doganani, que consegue reinventar o color block em versão minimalista e usando tecidos nobres como o cetim e o shatung de seda. As calças tem a cintura no lugar, e as saias deixam as pernas à mostra em fendas profundas.

Com inspiração nos cangaceiros e no mito brasileiro Lampião, o estilista Arnaldo Ventura divide sua coleção em quatro sequências, e acerta nas não-literais, como os vestidos esvoaçantes em verde limão, e looks all white rendados à laser.

MARCELA LEONE | FOTOS: AGÊNCIA FOTOSITE