As modelagens e lavagens desejo do público pela Forever 21

Plus: para muito além do significado da amplitude maior na numeração, esta palavra

atualmente define uma responsabilidade mais elevada em todas as etapas da moda. No

desenvolvimento, é preciso acolher todas as tendências, principalmente as consideradas proibidas:

estas serão o objeto de cobiça maior. Quanto mais um mix em denim

desenvolvido para os tamanhos especiais, conseguir provar que não existem restrições

para o closet acima de 44, maior será seu apelo comercial. Buscar a solução para o

bolso quadrado que “achata” a silhueta, para a flare que aumenta os quadris, para o

branquinho chic que “engorda”, ou para o corte no comprimento dado pela cropped, são

os grandes desafios que vencidos, convertem-­se nas apostas mais certeiras de uma

coleção plus size.



Esta é a lógica apresentada pela linha de tamanhos maiores da rede de fast­-fashion

Forever 21, gigante da moda que trabalha com a renovação acelerada

das coleções, a preços acessíveis, que vem competindo fortemente com as marcas

nacionais. Sendo assim, seu mix apresenta um mostruário relevante, não apenas como

pesquisa de mercado, mas também, como observatório e identificação do que é fashion

para este público.



A coleção da Forever 21, no jeans, é bastante essencial, focada na

calça, e comprometida em oferecer as modelagens trendy da estação ­ sem restrições.

Tal evidência, está presente principalmente na proposta da pantacourt: um grande hit

para as magrinhas, e uma silhueta complicada para as “cheinhas”. Portanto sua ênfase

no mix simboliza uma conquista para este público; logo torna-­se um irremediável item

desejo. Além da pantacourt, temos as croppeds, outro formato

geralmente restrito para este público, a super skinny, e numerosas interpretações para a

flare. As calças focam o cós de 4 cm, mas também contemplam o fechamento de dois e

três botões em ligeiras aparições. As lavagens enfatizam as nuances macias do azul,

comunicando conforto, mas também trabalham aspectos como pontos de luz, devorês,

respingos, bigodes, ripped intenso e rasgadinho minimalista. O que temos é o jeans com

cara de jeans: essencial na construção, elaborado na modelagem e na linguagem do

segmento. Para o alinhamento das tendências, os looks do catálogo transitam por todas

as propostas: temos o look biker com top e jaqueta de couro, o visual

boho com franjas e camurça, a gola rulê tão em voga na moda de rua, e as alças

trançadas valorizando a feminilidade do público. São diversas personagens, e diversos

momentos da mulher, apresentados em uma síntese de tendências ­ onde o jeans

permanece em uma aparência atual e repetível.



Os detalhes de moda trabalhados são sutis: temos as bainhas com

costuras largas, barras desmanchadas com acabamento frayed, a bragueta abotoada, os

bolsos quadrados ao estilo sessentinha, e rasgos ousados proporcionando a exposição

da pele. Em síntese: temos divas com curvas: essenciais na leitura do jeans, fashion na

produção de moda. Confiantes, na medida em que provam que podem vestir

comprimentos, silhuetas e formatos proibidos, e que eles ficam bonitos nos volumes e

medidas reais.

VIVIAN DAVID | FOTOS: REPRODUÇÃO