As principais tendências sinalizadas pelas feiras de Nova Iorque e Las Vegas

Estamos acostumados a noticiar as principais direções de grandes feiras que lançam tecidos e mesmo reúnem marcas, na Europa e Alemanha: localizações consagradas especialmente para o mercado JeansWear. Mas estamos de olho nos demais eventos que apresentam afinidade para com o mercado nacional, capazes de fornecer referências mais próximas da nossa própria realidade. As feiras que acontecem em território Americano: Nova Iorque e Las Vegas, tem se destacado por tais características. Marcadas por um DNA mais esportivo, e por uma pegada streetwear predominante, apresentam um mix menos essencial sem prejuízo da funcionalidade. Entre os exemplos, temos as feiras Project, Magic, Agenda e Liberty que aconteceram no final de janeiro e início deste mês, antecipando as tendências para o mix masculino da temporada de Inverno 2020

Nylon, sherpa, e veludo cotelê, de acordo com este conglomerado de feiras, serão materiais direcionais para o nosso segmento. Movidos pela alta dos anos 80 e 90, os mesmos estarão presentes do detalhe até o look combo, levando a formação de diálogos importantes com as lavagens do jeans da estação. Conjuntos de corrida em cores vibrantes e leitura color blocked representam a principal apresentação do nylon. Da mesma forma o veludo formará produções completas – e deverá influenciar também o mix denim formando diálogos importantes no mix de tecidos da estação.

Já a alta da pele sintética estilo avesso de forro, conhecida como sherpa, será outro ponto alto, descendente da busca pelo desafio e superação que paira no espírito do nosso tempo. Lembrando a indumentária dos guias das paisagens geladas do Himalaia, desta vez o material não será restrito ao interior dos casacos e irá definir seu principal aspecto externo. Do mesmo desejo provém a alta do casaco puffer, que em algumas marcas foi interpretado aproveitando a transparência para expor o aproveitamento de resíduos térmicos na composição.

Além da cartela saudosista de materiais e cores dos anos 90, o visual trabalho braçal deverá ser uma importante influência para o jeans masculino. O estilo da calça carpinteiro, neste caso, é o principal key item que vai mencionar esse desejo na estação. A tendência utilitária, por sua vez, será interpretada de diversas maneiras: somada ao visual das listras laterais, permeada por bolsos oversize, combinada às cores vibrantes, e até mesmo com fitas refletivas. E destacará também o colete “traveller”, do viajante, como outro visual desejo importante para a estação.

O denim em seu aspecto original, não será a única oferta dos fits fashionistas da estação. Bases de sarja listradas, denim texturado com jeitão de tricô, e tecidos quadriculadas farão também sua retomada. Da mesma forma as estampas de leopardo e camuflagem, mencionando novamente o estilo de sobrevivência, deverão agregar falas de coragem e disposição à estação.

E falando específicamentoe do jeans, a customização representa a chave para os consumidores da Geração Z e Millenials. Novamente o passado recente será a principal influência: anos 80 e 90.  Aspecto bleached, acabamentos desfiados, patches, detalhes color blocked e jogadas de styling com bandanas e rabiscos serão as principais citações dessa inspiração. De preferência, com uma “bum bag” (pochete) transversal acumulando uma camada extra de utilitarismo, volume e nostalgia retrô.

Fonte: Vivian David | Fotos: Reprodução