As quatro ambiências para que vão criar envolvimento no consumidor de jeans

Mudam as estações, mudam as peças-­chave e as linguagens do visual

merchandising; mas o propósito perseguido por cada instalação de vitrine ou

interior é sempre o mesmo: criar para o observador uma mensagem irrecusável.


Para tanto, é preciso acertar seu desejo: o que seu cliente quer? Ser cool sem muito esforço,

estar sempre perfeito como uma selfie, quer que adivinhem seus pensamentos, ou quer

ser levado para um lugar tranquilo no meio da natureza? Estas quatro perguntas,

divididas em quatro temas, sintetizam as principais respostas para as fantasias

identificadas no consumidor de moda da estação de Inverno 2016; e

que deverá se prolongar como linguagem no Verão 2017.



AMBIÊNCIA CONCEITO: o desejo de ser associado a uma atitude

moderna, a sensação de pioneirismo, a postura destemida. Estas são as fantasias

exploradas nesta lógica, onde a mensagem principal é a de que usar jeans é cool,

urbano, moderno e, principalmente, conceitual. Para declarar sem erro tal afirmativa, as

marcas se apropriam de ambiências estilo instalação de arte moderna de bienal. Temos

mosaicos brincando com as nuances do azul índigo, palitos de fósforo gigantes, e

mesmo cordas pendentes criando paisagens artificiais inusitadas e neutras. Dessa

forma, o jeans é inserido no tema urbano, através de um conceito mais elevado e

subjetivo. O fundo da vitrine não é figurativo: trata­-se de uma maneira de apresentar um

item comum, de uma forma singular e atemporal. Os manequins são menos numerosos,

no máximo dois com o denim protagonizando a cena. Como exemplos temos a vitrine de

Armani Exchange, Topshop e Joyce. Neste tópico, o mix em denim é urbano, icônico e

contemporâneo.



AMBIÊNCIA EMPATIA: este é o tópico que trabalha a zona de

conforto e cria laços com o observador a partir do reconhecimento de suas afinidades. A

linguagem é a simplicidade e o visual é o de interior, de casa. O material-chave é a

madeira: mas desta vez não a rústica, e sim a mais clara, tratada e minimalista. Ainda

como elementos importantes, temos caixotes estilo feira, modulados estilo reciclado,

mas sempre em tons claros e limpos. Roupas dialogando com plantinhas, manequins

com pôsteres antigos, pisos de parquê, tablados e mesas estilo sala de estar são alguns

itens. Este é o ambiente que combina com a moda essencial, atemporal e neutra; mas

também pode migrar para a pegada rocker e para as marcas que tem um público de

personalidade forte fundamentados nos movimentos culturais. Também a ideia de um

closet aberto e organizado, sofás e almofadas. Tapetes étnicos também são elementos

importantes, já que dialogam com os temas setentistas, os quais vem se destacando

nas coleções, sem discordar com a ideia de intimidade criada. Diesel, Levi’s e Bershka são

exemplos.



AMBIÊNCIA MOTIVAÇÃO: ambiente que convida o consumidor a se

amar, a se gostar e se “publicar” em sua melhor versão através da roupa. Inspirado no

deslumbramento provocado pela exposição nas redes sociais e pelo egocentrismo do

“self­marketing”. Neste tema o jeans é colocado como uma porta de entrada para a fama.

Como exemplo, temos a campanha Spotlight, da varejista de moda Liga Nova, a qual

chama a atenção para as marcas desejo através de adesivos reproduzindo a luz de um

holofote. Como indução, temos frases como “ame os holofotes com seu denim original”.

Outro nicho que trabalha a mesma fantasia é o da H&M, com diversos looks tendência

montados sugerindo visual fashion com naturalidade para o dia-­-a­dia. Também as

montagens que associam painéis com fotos de campanha estilo selfie, ou mesmo de

lookbooks, lado a lado com manequins e acessórios, como as montagem de Karen Millen

e Dockers. A proposta é transmitir a leitura das peças reais juntamente com a realidade

idealizada, perfeita e bonita das campanhas: no formato similar ao que trafega nas

mídias sociais. Aqui as peças em denim tem maior apelo de tendência, são mais

vaidosas e representam as ousadias mais corajosas da temporada.



AMBIÊNCIA REFÚGIO: tema mais receptivo ao verão, levando a

ambientes tranquilos e pacíficos; deleite para o humor. Aqui os manequins podem estar

imersos em canteiros de flores do campo, reproduções da natureza ou em cenários que

remetam a viagens. A relação dos looks com a paisagem natural é o principal elemento

de encantamento. Em outras temporadas tivemos feiras, frutas. No verão 2016 e Inverno

2017 ainda temos muita influência do lifestyle hippie, de modo que os elementos mais

requisitados são as flores do campo, o mato e a própria paisagem natural. Combina com

coleções mais femininas e leves e possui excelente apelo comercial.

VIVIAN DAVID | FOTOS: REPRODUÇÃO