Baggy Jeans e o movimento anti skinny

A calça skinny é sem sombra de dúvidas uma peça que irá descrever como as pessoas do início dos anos 2000 se vestiam. Em 2005, quando ela apareceu teve o poder inebriante de atrair uma legião de fãs que não queriam ter seus corpos marcados pelo cós baixo de um jeans, mas sim, uma peça justa que os representasse.

Somos muito gratos por sua existência, mas como diria Ariana Grande, “Thank you, next”. Nem todos os públicos eram bem atendidos pela peça, por mais que ela seja realmente uma grande descoberta. Chegou à hora de termos novas experiências com peças que atendam todos os públicos, com conforto e espaço de renovação, como é o caso da Baggy Jeans.

Com cortes soltos e larguinhos, as baggy jeans prometem atender diversas consumidoras em diferentes situações. O update é muito útil para quem deseja ser um pouquinho mais alta, uma vez que usando um tênis mais elevado ou um saltinho conseguimos construir looks mais despojados, elegantes, e com personalidade. O ajuste na cintura também é um plus que a peça confere, mesmo que a princípio essa característica tenha intimidado alguns fashionistas.

As Baggy Jeans combinam com tops cortados, com looks que constroem camadas, tênis, sandálias, botas, blazers e assessórios elegantes. Peças cropped também são uma boa jogada assim como deixar o cós exposto, o que dá a impressão de que você cresceu.

As versões em brim são mais indicadas para o cotidiano, enquanto as de denim escuro ficam perfeitas para os dias mais sérios, e até mesmo para o inverno 2020. Experimente texturas, peças com lavagem e estilo destroyer, camisas sociais ou de banda. Tudo é válido.

Fonte: Beatriz Fleira | Fotos: Reprodução