C&A apresenta linha de camisetas renováveis com certificação nível Gold da Cradle to Cradle™

A moda cada vez mais ligada em processos ambientais sustentáveis e renováveis. Essa é a proposta da primeira coleção circular apresentada na semana passada pela C&A. Trata-se de uma linha de camisetas com seis cores para cada segmento, feminino e masculino e, que estarão disponíveis a partir do dia 1 de setembro nas lojas físicas e no e-commerce da rede, com valor de R$19,90 reais.


Essa coleção é um marco na indústria da moda, segundo o presidente da C&A, Paulo Correa, porque todas as etapas do processo são construídas de maneira totalmente responsável para o meio ambiente e em relação às condições de trabalho e justiça social. Tudo isso quer dizer que as peças se utilizam de algodão orgânico, sem corantes que possam danificar a natureza, reutilizando água e com energia renovável e com mão de obra totalmente correta. Além disso, as camisetas podem ser recicladas ou plantadas virando adubo. Os produtos ganharam a certificação Gold da Cradle to Cradle™, que é um programa que avalia se os materiais são seguros para a a saúde humana e para o meio ambiente.


“Estamos trazendo uma história que entendemos ser um marco para o varejo de moda nacional, com o lançamento das primeiras camisetas desenhadas para serem recicladas em escala mundial. Temos a responsabilidade de liderar esse processo, já que temos o compromisso de oferecer uma moda com impacto positivo”, disse o presidente da C&A, Paulo Correa.


Para lançar a coleção, a C&A armou um evento que contou com workshops de customização de peças em jeans fornecidos pela empresa, em parceria com a Malha, e de ressignificação de objetos de decoração, realizado pelos designers do Ateliê Pistache Ganache. Além disso, foram adotadas práticas para reduzir os impactos ambientais do evento: toda a emissão de carbono foi neutralizada e toda a cenografia foi pensada para que fosse evitada uma geração excessiva de resíduos.
Aconteceu ainda uma mesa-redonda para debater questões como produção sustentável, os desafios da economia circular e o futuro da indústria da moda. Participaram dessa conversa o presidente da C&A, Paulo Correa, a líder da Ellen MacArthur Foundation no Brasil, Luisa Santiago, e a atriz e apresentadora Fernanda Paes Leme, com mediação da jornalista Lilian Pacce. Segundo Paulo Correa, essa é a primeira de muitas coleções que a C&A pretende lançar. “Começamos pelo básico para ir evoluindo com o tempo”, afirmou.


A moda colaborativa, mais sustentável ganhou destaque como a moda do futuro. Paulo disse que as pessoas ao mesmo tempo que estão correndo sempre, com nível de paciência curto, estão querendo se expressar para o mundo de uma forma diferente. “Os clientes querem entender de onde vem cada peça, o que tem por trás de todo o processo. A moda como foi conhecida tradicionalmente está fora de moda. Ela atualmente é mais inclusiva, mais transparente, mais tecnológica, permitindo as pessoas serem elas mesmas, seguindo suas histórias e tribos”, comentou Paulo.


Fernanda Paes Leme afirmou que a moda é estilo de vida, deve-se consumir de forma consciente. Ela apresenta o programa “Desengaveta” na GNT onde visita o closet de famosos, convencendo o participante a doar os excessos com renda revertida à instituições de caridade. “Ninguém usa nem metade do que tem no guarda-roupa”, comenta Fernanda.


Paulo comentou também que trabalhar com produtos ecologicamente sustentáveis de forma artesanal é mais fácil, mas em escalas maiores é um grande desafio. É preciso buscar soluções diferentes. E, revelou que até 2020 a empresa mantém o compromisso de excluir qualquer produto químico que possa causar problemas ao meio ambiente.

VANESSA DE CASTRO | FOTOS: EQUIPE GUIA JEANSWEAR / Wesley Allen