Conheça as apostas no jeanswear feminino para o Inverno 2015

As tendências para o próximo inverno foram apresentadas durante a 44ª edição do Senac Moda Informação, realizado no dia 3 de setembro em São Paulo com as novidades em diferentes mercados, inclusive o jeanswear.


E para abordar o assunto, o consultor de moda Robi Spatti destaca o jeans como um segmento a parte e mais complexo, onde é possível criar diferentes estilos. “Esse mágico filamento possibilita que o mercado o transforme em inúmeras formas visuais, seja nos acabamentos das próprias tecelagens, seja na construção de modelos com o tecido, ou, principalmente, nos acabamentos finais nas lavanderias, onde o jeans já pronto passa por grandes metamorfoses. Isso sem falar nas customizações e aplicações finais”, afirma Robi


Dentro dos temas apresentados durante o evento, Robi destaca os anos 70 com referências aos cowboys em jeans destroyed, mistura de couro e pele. Já diretamente da década de 80 surgem o leather denim e total black com detalhes de tachas, correntes e zíperes, além de logomanias e patchs valorizando o artesanal. O xadrez do movimento grunge faz referência aos anos 90 e o estilo militar remete aos uniformes da década de 40.


Outra macrotendência observada no mercado jeanswear é o esporte mesclado ao conforto em modelagens mais soltas e tons como amora, índigo-profundo e preto, com pitadas de amarelo, alaranjados, vermelhos e verdes-gelados. O último tema faz menção à tecnologia de informações, tecidos e lavanderia, que segundo Robi, foi a mais vista nos desfiles internacionais. Aqui entram o azul-intenso, black e colors e, ” ícones modernos como Lady Gaga, que mistura tecnologia, arte e muita excentricidade, e Justin Bieber, rebelde feito pela mídia em looks com simplicidade nos detalhes, customizados com logomarcas de redes de fast food, carros e times de basquete. Isso dá ao segmento inúmeras possibilidades de modelos e shapes (mistura dos hiperajustados aos desestruturados e looks folgados), de acabamentos de lavanderia e de toques finais, com as aplicações dos adornos que o jeans necessita, como etiquetas, botões, rebites e acessórios”, comenta Robi.


Confira as principais apostas:


Modelagens


Calças: boy tappered com entrepernas arredondada – a nova girlfriend, cropped com cintura alta, ciclista biker mais justa com elastano, skinnies com diferentes alturas de ganchos e tecidos leves com power, flare no estilo alfaiataria com pernas justas e bocas mais abertas, jogger no denim com aspecto de moletom, elástico, cordão e punhos, wide leg culote, larga e mais curta nas pernas (um pouco mais difícil de ser aceita no mercado), tomboy flare (novidade no mercado) com aspecto vintage, em tecidos pesados e com gancho baixo e barra larga e, por fim a bootcut no estilo western e gancho mais alto.


Shorts: no estilo boyfriend, mais justos ou no estilo alfaiataria.


Saias: fazem sucesso na estação e ganham destaque em diferentes comprimentos. Destaque para o midi e no estilo lápis. Há espaço também para a linha A, curta ou mais longa. Minissaias menos curtas em média de 35 a 38 centímetros.


Vestidos: retos, tubinhos, mais limpos e minimalistas. Mangas curtas ou cavadas, longos no denim leve, com resinados ou acabamento de couro.


Macacões: em denims leves, soltos, no estilo aviador dos anos 60 ou mais justos com detalhes de zíperes, em comprimentos croppeds.


Jaquetas: biker e bomber continuam fazendo sucesso, principalmente no denim com aspecto de moletom com punhos e elásticos, minijaquetas, no estilo militar ou motocross. No estilo quimono com bordados em jacquard e estampas a laser.


Camisas: em tecidos leves, Lyocel, mais longas, no estilo chemisier, mais ajustadas ou croppeds.


Spencers e blazers: no estilo alfaitaria, acinturados, mangas secas ou efeitos de patchwork.


Tecidos


Os tons mais vistos são os blacks e blues profundos e os dois mesclados. Aspecto de couro, acetinado com poliéster, Lyocel, denim moletom, muito elastano para peças com power. “Denins com gramaturas mais pesadas e de aspectos sarjados com elastano são usados mais para modelos em que a lavanderia será o diferencial, para efeitos desgastados e puídos. Aparecem em jaquetinhas, calças tappered e minissaias western, e variam de 7,5 a 10,5 onças. Os cem por cento ainda estão presentes para modelos boy, usados mais no segmento masculino”, afirma Robi.


Lavanderia


Muita resina, principalmente no leather denim, índigo raw, respingos de tinta, 3D, craquealdos, corrosão, laser, carvão, patchwork, tie dye, sarjas coloridas e cru. “Os mais vistos são os pretos em cima do azul de vários fundos, no vermelho, no off-white e nos crus de aspecto envelhecido”, detalha Robi.


Detalhes


Pespontos no mesmo tom do denim, conferindo mais glamour e sofisticação à peça, couro, tachas, correntes, spikes, ilhoses, zíperes, logomarcas, mistura de tecidos, matelassê, paetês, galões, tags detonadas, etiquetas menores, bandeirinhas laterais como etiquetas, botões com trabalho de mofo, aviamentos cobre, dourado e niquelados brilhantes. Para peças escuras, metais pretos e grafites de aspecto opaco ou brilhante.

VANESSA DE CASTRO | FOTOS: EQUIPE GUIA JEANSWEAR / REPRODUÇÂO | Croquis: Robi Spatti