Conheça o que será moda em 2012

Chris Coleman, editor sênior do site WGSN em Londres apresentou na última quinta-feira, dia 10, em São Paulo, as principais tendências para o inverno 2011/12.


A seguir, as palavras-chaves da estação:


Triunfo da Beleza: é indispensável ser criativo em qualquer empresa, sempre com ênfase na beleza, na imagem.


Riscos e Ousadia: assumir os riscos, romper os padrões, sempre ouvir o que os consumidores querem e se errar não ter vergonha de pedir desculpas e assumir os erros.


Casa como Laboratório: í s vezes as melhores ideias estão dentro de casa, onde passamos muito tempo e onde podemos explorar e aprender principalmente com as novas tecnologias que irão fazer parte cada vez mais de nossas vidas.


Criações instantí¢neas: twitters, blogs, sites…..tudo é fonte de inspiração e influenciam com suas informações rápidas e poderosas.


Nowhere, anywhere (nenhum lugar, qualquer lugar):estamos totalmente globalizados com a internet, sem limites e sem espaços separados, aqui e ali, em qualquer lugar.


Três macro-tendências para o inverno 2011/12


360º graus


Aqui pensamos em três dimensões e, não somente parte da frente e de trás. Esta é uma tendência que já vem sendo criada em peças com volumes, pregas, dobras, brincando com proporções e escalas em recortes cilí­ndricos e esféricos.


Pensamos também na roupa do lado de dentro e de fora, caprichando em todos os detalhes, como costuras aparentes, forros por fora, tecidos que capturam o movimento, corte preciso, reconstruções e tecidos esvoaçantes para as lingeries.


As cores vão do bege ao laranja e amarelo forte.


Falso Real
Vamos brincar com as proporções e cores inesperadas, identidades, fantasias imaginárias, onde o real parece falso e o falso ainda mais real.


í‰ uma mistura, por exemplo, de uma bolsa carí­ssima em couro, com detalhes de borracha ou plástico. Ou um carro de marca conhecida com pintura opaca, sem brilho, que normalmente denota riqueza, beleza.


Aqui misturamos sobreposições, reinventamos, brincamos com a nossa percepção do valor, o que é luxo e o que é barato, onde o luxo í s vezes imita o falso e o falso é cada vez mais chique, como a bolsa de saco de supermercado com corrente dourada e o logo da Chanel.


Surgem misturas divertidas e criativas, com pouco brilho e tecidos opacos.


A imitação não é feia, é uma homenagem ao original, afirma Chris.
Cores: lilás, rosa, preto opaco, vermelho e cereja.


Your Space (Seu Espaço)
Os espaços minimalistas, utilitários (um dentro do outro), organizados e nostálgicos influenciam a moda, onde é possí­vel construir ambientes portáteis, encaixáveis, conectados, seguindo a simplicidade e os aspectos gráficos.


Aqui entram looks andróginos, estilo militar, detalhes sutis, tecidos funcionais, alfaiataria, roupas modulares, peças desconstruí­das, personalizadas, multifuncionais.


Os zí­peres e botões são importantes para formar novos modelos, por e tirar.


Cores: calmas, como o cinza, caqui, marrom, azul marinho.

Foto 1 – Chris Coleman

Foto 2 – Chris Coleman e Andrea-Bisker

VANESSA DE CASTRO | FOTOS: DIVULGAí‡íƒO