Couro, camurça, matelassê e tartans diferenciam o jeans

É de praxe: a cada temporada, temas e lavagens carregam juntamente com todo um visual, uma cartela de toques, cores e aparências, que renovam o repertório de detalhes, formas e construções das coleções em denim.


Na temporada de inverno 2015 temos a camurça fazendo uma clara referência ao universo dos rodeios, as misturas do denim com os tartans compondo um diálogo evidente para com o resgate do grunge, o couro atuando tanto como constatação da alta dos discursos icônicos de liberdade e aventura do jeans, quanto sugerindo inspirações exóticas e sedutoras.


Em acréscimo, temos algumas intromissões de materiais que remetem ao sportswear, como tecidos piquê. No quesito visual de inverno, destaque para as aparições de pele e tecidos felpudos em pequenos toques de moda, e a ênfase nas misturas do índigo com o denim black, dark e grafite. Jaquetas e casacos com mangas e palas de tricôs lavados, evidenciam a visível evolução do segmento rumo à constante ampliação de sua importância no guarda-roupa pessoal global.


Enquanto a camurça, o matelassê e as peles restringem-se à detalhes caprichosos e urbanos, as inclusões de couro, xadrez, estampas e tricôs influenciam diretamente na fisionomia das peças, recortando mangas, ou partindo calças em blocos de cores. Nossa galeria de imagens prioriza a pesquisa realizada em Berlim, mas também inclui algumas peças inspiradoras garimpadas no Japão.

VIVIAN DAVID / FOTOS EQUIPE GUIAJEANSWEAR