Democracia de estilos para o inverno 2014

A modelagem da flare é detentora de um mise-en-scène, superior em comparação com o discreto corte slim, e com o gracioso fit skinnie. O desenho da calça, em si, altera bastante a fisionomia da silhueta feminina, conferindo uma notabilidade singular ao look. No entanto, o impacto da volumetria da flare não impede seus múltiplos desdobramentos em estilos, lavagens, e discursos. Pelo contrário, exigem uma alquimia sutil para correta escolha do visual, altura do cós, largura da barra, etc.


Os lookbooks de inverno estão repletos de boas referências, do estilo vanguarda, passando pela discreta maturidade feminina, até chegar no Plus size. Entre as interpretações mais jovens, destaque para o estilo da Superfine e One Teaspoon, que apostam nas barras mais amplas, detalhes de tachas nas laterais, e reforçam a peça no visual black tingido. Já para o estilo básico e neutro, boas influências constam no lookbook Joie Jeans, e para o público feminino maduro, boas colocações de lavagem e volumes são propostos pelas coleções de inverno de Victoria Beckham e Goldsign.


As lavagens destacam o visual vintage lixado, a exemplo da peça do lookbook Levis Vintage. No blue denim lavado, o apelo é de conforto e relaxamento, em alinhamento com a fusão da idéia do jeans com o pijama. Já nas lavagens mais uniformes, destacam-se o black, dark denim, as nuances profundas de vermelho, e o white denim. A cintura elevada predomina como aparência principal, porém no varejo net percebe-se bom giro das peças de cós baixo e mais enfeitadas por recortes ou estampas.


Por fim, a grande mensagem da flare na temporada de inverno é sua democracia de estilos e biotipos, dada a identificação convicta da modelagem nos lookbooks plus size, que trilham um caminho de libertação quanto à modelagens e lavagens, mostrando um posicionamento mais ousado com relação às marcas tradicionais.


ViVIAN DAVID / FOTOS: REPRODUÇÃO