Denim amaciado com nanobolhas: redução de 98% do uso de água e 0% produtos químicos

Todos os profissionais envolvidos e esclarecidos quanto aos poluentes processos de lavanderia do jeans sentem-se aliviados a cada mudança tecnológica que promove uma significativa evolução rumo à sustentabilidade.



A empresa espanhola Jeanologia, atualmente é o grande destaque nessa valoroza missão de tornar o parque industrial índigo mais eficaz e eco-friendly. A companhia recentemente foi contemplada com o prêmio Innovation Awards, promovido pelo jornal “El Mundo”.



Entre as notáveis mudanças promovidas no beneficiamento do denim, o mais recente lançamento é a tecnologia de ponta chamada E-soft, tecnologia proposta para beneficiar as peças em denim que alcança a admirável meta de reduzir a praticamente “zero” o consumo de água e elimina por completo o terrível descarte de produtos químicos no meio ambiente. A quantidade de água exigida é mínima, 98% com relação aos sistemas tradicionais.



O E-soft funciona da seguinte forma: o ar da atmosfera é introduzido em um reator chamado “electro flow” e submetido a um choque eletro-mecânico, criando nanobolhas e uma corrente de ar úmida. A mistura de nanobolhas é depois transportada a um recipiente de centrifugação onde as roupas estão, e quando entra em contato com elas, lhes confere maciez e um toque natural. O maquinário que envolve o processo é composto por dois equipamentos: Reator Electro Flow e Contact Box. A aplicabilidade vai desde o amaciamento de malhas, tricôs e underwear até o denim.



A Jeanologia é uma empresa da Espanha especializada em pesquisa, desenvolvimento e comercialização de novas e menos poluentes tecnologias para lavação, tingimento e acabamentos têxteis, especializada em jeans. Atualmente, a companhia está presente em 5 continentes (incluindo o Brasil) e atende à grandes marcas globais tais como Levi`s, Polo Jeans, Abercrombie & Fitch, Edwin Japan, Pepe Jeans, Diesel, Hilfiger Denim, Salsa jeans, ou grandes varejistas como GAP, Uniqlo, Zara, entre outros.



Enrique Silla, presidente da Jeanologia define o novo paradigma que se desenha no segmento jeanswear: “O caminho e as tecnologias utilizados para produzir um jeans fazem parte do produto final, o mercado entendeu isso e no futuro não haverá espaço para aqueles que não fizerem uso eficiente, ético e sustentável das técnicas produtivas.



No ano de 2000, a Jeanologia foi a primeira companhia que introduziu a tecnologia do lazer no tratamento do jeans. Ainda nesta semana, o GuiaJeanswear publicará também uma matéria especial esclarecendo os benefícios do lazer G2, exemplificando o visual vintage possível de alcançar com o uso da técnica através de exemplares lançados por marcas globais, bem como as elegantes estatísticas eco-friendly divulgadas pela Jeanologia que definitivamente vestem o cenário futuro do jeans com exigências de ética e responsabilidade.

ViVIAN DAVID / FOTOS: REPRODUÇÃO