Desfiles e discussões relevantes para moda no SPECOERA4

Na última sexta e sábado, o Guia JeansWear foi acompanhar a 4ª edição do evento SP.ECOERA. Idealizado por Chiara Gadaleta com o intuito de discutir o atual mercado de moda e pensar em soluções mais sustentáveis, o evento contou com 11 desfiles e mesas redondas que abordaram a importância de repensar o ritmo atual de consumo. O projeto vem ganhando cada vez mais espaço não só no âmbito da moda, como também na política, por unir mercado a problemas sociais, e buscar soluções eficazes.


Os desfiles aconteceram na sexta-feira em uma sala lotada do Museu A CASA. Além dos estilistas, imprensa e público geral, a plateia era também formada pelos profissionais que foram responsáveis em transformar fibras, fios e tecidos nas roupas apresentadas. Dentre os 11 desfiles, destacamos a Puket, que reforça sua campanha Puket Meias do Bem , projeto que arrecada meias esquecidas nas gavetas e que provavelmente iriam se acumular em aterros sanitários, e as transforma em cobertores para serem doados para entidades e pessoas necessitadas. A ASA (Associação Santo Agostinho) e seu brechó recheado de peças lindas e em ótimo estado, com vendas revertidas para diversas instituições de caridade responsáveis por cuidar de crianças, jovens e idosos.


Ainda misturando reciclagem, moda e projeto social, a Bantu Mulher apresentou um desfile com lindo styling e peças feitas a partir de uniformes descartados da aeronáutica. Todas as peças produzidas por uma comunidade de mulheres capacitadas que sofreram abusos domésticos e estão em busca de um novo ofício. A Flávia Aranha, estilista ecochic que trabalha com tingimento natural, algodão orgânico e fair trade, tem essência de alta costura com peças de design primoroso. Por fim, Será o Benedito e sua moda masculina rústica com calças com aparência de jeans cru e sarja pesada, transforma lona de caminhão em moda.


Já no sábado, a mesa redonda “Uma Nova Forma de Consumir” ressaltou a importância dos brechós em dar uma vida mais longa às peças, além de evitar a produção de novos itens e dar acesso a peças primorosas por preços simbólicos; o fair trade e o feito local com a representante da marca americana American Apparel, Thais Lima, que reforça a produção vertical integrada e no seu país de origem; o prazer, o feito a mão e o conhecimento de moda trazidos a tona por Cristiane Bertolucci; e Flávia Aranha contando como, mesmo com peças artesanais e em quantidades limitadas, ela conseguiu crescer e expandir seus negócios.


O SP.ECOERA4 marcou também a chegada do projeto Fashion Revolution no Brasil, que questiona “quem fez sua roupa?” e aborda a questão da mão de obra análoga ao trabalho escravo na indústria da moda mundial. Você pode saber mais sobre o Fashion Revolution clicando aqui. Acompanhe e participe do movimento promovido pelo SP.ECOERA através das redes sociais com a #escolhacerta. O SP.ECOERA5 ainda não tem data marcada mas deve acontecer em Novembro.

MARINA COLERATO | FOTOS: REPRODUÇÃO