Diversos apontamentos para a moda masculina no inverno 2016

Homens modernos, com pegada punk, referências góticas, jeitão de lenhador, e detalhes

biker. As araras do fast­fashion Europeu equivalentes ao

Inverno 2016 nacional, estão repletas de confirmações direcionais

sutis no ponto de vista do conceito, porém imediatas e certeiras do ponto de vista do

visual em si.



Ostentando o posto de tonalidade a que foi confiada a atitude mais moderna da estação,

temos a ampla cartela acinzentada, vestindo os fits masculinos mais ajustados e as

peças mais bem resolvidas no que diz respeito ao quesito fashion.

Neste tópico, entram também as composições total grafite, dialogando com moletons em

construções conceito, e as fusões do jeans com o lifestyle casual e esportivo.



Quanto aos padrões, destaque para o visual onipresente do xadrez

buffalo (estilo lenhador) em misturas de tecidos; tanto em detalhes de calças

quanto na numerosa camisaria. O padrão, entra tanto como linguagem para

detalhamento de peças com estilo icônico alinhadas à influência boho; quanto nas

interpretações que seguem a referência punk: outra forte inspiração para o

menswear masculino da temporada. Neste último tema com pegada

rocker oitentista, o jeans black se destaca na versão do rasgadinho insistente ao longo

do entrepernas. Já nos detalhes, o visual do jeans é elevado por recortes biker e por

construções-­pretexto para inclusões de fechos.



Nas lavagens temos tanto o índigo bruto colocado com discurso mais viril, quanto os

beneficiamentos ácidos ­ estes últimos, apresentados com aspecto desejo para o

menswear da estação, repetidamente na versão total denim.



Os coloridos nas versões vermelho vinho e azul marinho desta vez,

estão mais escuros, e são colocados nas produções mais elegantes em tom mais

refinado ao invés da usual associação com o lifestyle criativo.



Por fim, no quesito peças-­desejo, destaque para a fusão da jogging

com a cargo, para as jaquetas com visual de colete dada a mistura de tecidos nas

mangas, ou mesmo os casacos com pele na gola e interior. Porém com apelo comercial

maior, nada supera o mix dedicado à camisaria, que é amplo principalmente no aspecto

descarregado e trabalhado em devorês, foge do comum dada a presença livre e

assimétrica dos patches e estampas xadrezes, e ainda alcança sua aparência mais atual

nos acabamentos ácidos marcados por variações rústicas nas nuances do índigo.

VIVIAN DAVID | FOTOS: EQUIPE GUIA JEANSWEAR