Eastman lança nova fibra sustentável no mercado têxtil brasileiro

A Eastman, empresa global do setor químico, traz para o setor têxtil brasileiro a Fibra Naia™ com a proposta de movimentar o mercado da moda sustentável. O artigo pode ser usado para a moda casual e também na alta costura, com o objetivo de tornar a moda sustentável acessível em grande escala.

Atualmente, várias malharias do país testam a fibra, que é constituída por 40% de resíduos reciclados e 60% de polpa de madeira. “A indústria da moda é a segunda que mais polui o meio ambiente no mundo. As grandes marcas estão comprometidas a utilizar matérias-primas sustentáveis, que ajudem a mitigar o impacto no meio ambiente”, comenta Carolina Sister Cohn, Líder Global de Marketing da Eastman Naia™.

Um exemplo do potencial de crescimento no uso de fibras sustentáveis é o estudo realizado pelas consultorias Future Impacts e 4CF. Ele mostra que, atualmente, apenas 25% dos especialistas da indústria da moda acreditam nas práticas sustentáveis.

De acordo com dados do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), só no Brasil são descartadas 170 toneladas de resíduos têxteis por ano.

O processo produtivo da Fibra Naia™ possui baixa pegada de carbono e não contém produtos químicos nocivos à saúde dos seres humanos. São utilizadas polpas de florestas e plantações com reconhecimento do FSC (Conselho de Manejo Florestal) ou do PEFC (Programa para o Endosso da Certificação Florestal). Além disso, possui diversas certificações, como biodegradável em solo, água e compostagem pelo TUV Áustria.

A polpa da madeira que compõe a fibra é coletada na Bahia e na Europa. Todo o material possui certificação FSC (Forest Stewardship Council, ou Conselho de Manejo Florestal, em português) e PEFC (Programme of Endorsement for Forest Certification Schemes, ou Programa para o Reconhecimento da Certificação Florestal). A produção, em larga escala, acontece nas unidades da Eastman dos Estados Unidos e da Espanha.

No mundo, mais de 200 empresas já utilizam a Fibra Naia™. “Cada vez mais, as marcas estão buscando soluções mais sustentáveis para reduzir a pegada de carbono e deixar um mundo melhor para as próximas gerações. A Naia™ fará parte dessa história”, destaca a executiva da Eastman.

“Esperamos que o Brasil se torne um mercado bastante relevante para a Eastman Global. A indústria têxtil brasileira tem um excelente potencial de produção local instalado. Precisamos incentivar e promover fibras sustentáveis para crescer o negócio”, finaliza Carolina Sister Cohn.

Fonte: Redação | Foto: Divulgação