Equívoco Jeans inaugura loja no Bom Retiro e evidencia parceria com Vicunha

No início desta semana, a Equívoco Jeans inaugurou sua primeira loja de atacado na prestigiada rua Professor Cesare Lombroso — endereço de diversas lojas conceitos e com foco no mercado atacadista —, no Bom Retiro, em São Paulo. A empreitada representa um novo passo da marca pertencente ao grupo Lorsa, uma das maiores PLs de denim do país. Além disso, o evento de abertura também ficou marcado pelo lançamento de uma nova coleção, que explora o jeanswear e sua atemporalidade.

A loja evidencia a união da Equívoco Jeans com a Vicunha. Como parceira de longa data do Grupo Lorsa e referência no segmento jeanswear, a tecelagem apoia a marca oferecendo soluções alinhadas às principais tendências de moda, sustentabilidade, design e lavagens.

O DNA da marca Equívoco é pautado pela versatilidade da matéria-prima denim e vai ao encontro do posicionamento da Vicunha, que visa “estimular a cultura do jeanswear para que cada pessoa no mundo encontre o seu jeansidentity”.

À frente da marca, Mariana Totaro comentou a parceria com a tecelagem até aqui. “A Vicunha é uma grande parceira da Lorsa. Nós basicamente pedimos (a parceria) e eles aceitaram. Estamos realizando um grande trabalho juntos, comprando muitos tecidos deles”, disse.

A inauguração contou com as presença VIPs da influencer Mariana Dalla e da Miss São Paulo, Bianca Lopes, enquanto o som foi embalado pela DJ Thay Girão. As convidadas utilizaram looks da nova coleção da marca, na qual Mariana ressaltou a intenção de destacar as peças trazendo lavagens que não são facilmente encontradas entre os bairros do Brás e Bom Retiro.

“Procuramos fazer uma coleção baseada em peças essenciais. A maioria das peças tem lavagens que o Brás e o Bom Retiro geralmente não tem, como tie-dye e o delavê. Há ainda detalhes como um amarrado rede, um crakelado. Os fits passam pelo reto, skinny e mom jeans. Tem um ou outro artigo mais diferenciado (em relação ao conceito), mas são basicamente peças atemporais, que você pode ter pelo resto da sua vida no guarda-roupa“, destacou Mariana.

Assim como a atemporalidade, a durabilidade dos tecidos também se mostrou uma preocupação. “Esta é uma grande característica do jeans. Eu mesma, se compro uma calça, quero que ela dure a vida inteira. Tudo bem que as tendências vão mudando, mas sempre vou amar a peça”, completou.

A marca trabalha tanto com o segmento feminino, quanto o masculino, partindo das numerações 34 ao 44 para as mulheres e 38 ao 52 entre os homens. A moda infantil também é uma aposta, ainda que de maneira mais discreta até aqui. “Fizemos algumas coleções cápsulas no estilo tão mãe, tal filha. São peças do adulto na versão infantil, no feminino e masculino, indo do 6 aos 12 anos – dependendo do modelo”, afirmou Mariana.

Mariana Totaro, responsável pela Equívoco Jeans, ao lado das CEOs do Guia JeansWear, Marlene Fernandes e Iolanda Wultz

Antes da abertura da loja em atacado, a Equívoco Jeans trabalhava apenas com varejo e representantes por todo país. As principais vendas da marca, ainda segundo Mariana Totaro, vem da região Sudeste na tríade São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

“Temos tido saída em tecidos mais leves e nas peças únicas, como macacões e vestidos. Algo que nos surpreende, vemos que o pessoal realmente gosta. São artigos um pouco mais caros, mas acredito que seja por serem peças mais fáceis. Você coloca um macacão e está pronta”, apontou a responsável pela marca.

Como parte do grupo Lorsa, que soma mais de 35 anos de história, a Equívoco Jeans mantém sua produção em fábrica genuinamente brasileira, com todos os processos feitos internamente, desde criação, pilotagem, confecção, lavanderia e acabamento. A sustentabilidade também aparece em foco, já que o conglomerado investe em pesquisas e tecnologias para diminuir o impacto ambiental da confecção.

O grupo Lorsa participa do protocolo ZDHC (Zero Descartes de Produtos Químicos Perigosos, em tradução livre), além de estar associado ao HIGG Index, plataforma mundial de transparência em sustentabilidade. A confecção vive ainda um processo de implementação em sua lavanderia, que busca a economia de até 95% na água utilizada.

Fonte: Thaina Barros | Fotos: Equipe Guia JeansWear