Estratégias para o desenvolvimento sustentável são tema de painel interativo

Em qualquer área, a pesquisa de mercado representa um ritual crucial a ser seguido antes da implantação de novas ideias ou estratégias transformadoras. Quando se fala em um segmento que está claramente atravessando uma fase evolutiva, esse olhar inspirador para os caminhos que apresentam laços de afinidade e deixam rastros de sucesso tornam-se ainda mais valiosos. No caso do mercado jeanswear, as mudanças que apontam para o ideal da sustentabilidade precisam estar adaptadas ao contexto nacional. Logo, apresentam características próprias. Foi com esse foco, que Rafael Morais, idealizador do evento Brasil Eco Fashion Week, mediou o painel Estratégias usadas nas empresas de moda com desenvolvimento sustentável, apresentado no primeiro dia do Denim Meeting São Paulo.

Edmundo Lima, diretor executivo da Abvtex, foi o primeiro a compartilhar com os ouvintes o que está sendo feito no Brasil para tornar nossa indústria, e nosso mercado, mais adotado ao conceito eco-friendly. Para tanto, iniciou sua apresentação colocando para os ouvintes a definição do real papel da Associação Brasileira do Vestuário Têxtil, através de um vídeo. Aplicação da governança e ação no setor da moda, a transparência, a promoção da sustentabilidade e o diálogo colaborativo constaram entre as missões. Também a função de impulsionar o desenvolvimento da cadeia de valor, promover a geração de empregos e capital humano, bem como o ideal de vestir o mundo de uma forma mais ética.

Edmundo frisou o programa ABVTEX 8, que promove a dignidade nas condições de trabalho da cadeia de fornecimento do varejo de moda. Em seguida, compartilhou alguns resultados, como a certificação de 3.716 empresas, e a inclusão de 673 Municípios e 18 Estados no programa, e a realização de 32.657 auditorias desde 2010 até o período atual. Destes itens auditados, o trabalho escravo, infantil e estrangeiro irregular foram abordados. O diretor frisou ainda, que o programa vem sendo reconhecido nacionalmente, integrando alguns dos prêmios importantes para a cadeia têxtil nacional. Encerrando suas colocações, Edmundo fez um convite para que todos os participantes da plateia ingressassem suas respectivas empresas numa jornada de promoção do trabalho digno e das práticas sustentáveis.

A problemática da falta de visão estratégia de integração que o tópico tem com o core business foi uma das reflexões colocadas por Américo Guelere Filho, consultor de sustentabilidade, que iniciou sua apresentação contando um pouco da sua longa jornada de experiência. O consultor lembrou que a indústria é de fato, uma das mais poluentes. Também mencionou o impacto do jeans – incluindo a produção da fibra, das roupas, até a fase de uso que muitas vezes não é mensurada. Américo contou que pode visualizar na pratica as evoluções da ABVTEX na rota da sustentabilidade. Após, compartilhou o dilema da visão fragmentada que ainda predomina sobre esses desafios em  nosso país. O consultor mencionou também, que no contexto atual o foco do tema no setor têxtil, muitas vezes se restringe ao atendimento à legislação.

“A idade da pedra não acabou por falta de pedra”, comentou Américo, ilustrando a necessidade de evolução. “Vivemos hoje a sexta grade onda de inovação, que tem haver com sustentabilidade e redução de consumo. Quando olhamos marcas que podem nos inspirar, temos que entender sustentabilidade como elemento para inovação”, comentou.

“Lavanderia é um parque de diversões para quem quer ser sustentável”. Foi com essa visão otimista que Julia Stolfo – Diretora de Criação da John Cler agregou seu conhecimento de chão de fábrica ao painel, apologizando em suas falas que na realidade prática, o que é bom para o planeta, também é bom financeiramente. “É lucrativo ser sustentável’, comentou, enquanto mencionou a redução no uso de água e químicos e o respectivo retorno financeiro gerado por cada uma dessas mudanças. Entre elas, a economia de R$ 102 em água potável, proporcionada por cada tanque de separação de água e resíduos aplicado. Finalizando suas colocações, Julia veiculou um vídeo institucional que proporcionou um olhar para os métodos sustentáveis usados pela lavanderia John Clear, entre eles o uso do laser, e a separação de resíduos sólidos no tratamento da água.

“A partir do momento que as pessoas reconhecem que o belo pode nascer do rejeito, não existem limites para a criação sustentável”. Foi com esta visão admirável que Ronaldo Silvestre, inspirou a platéia com uma contribuição da visão humana e criativa das práticas sustentáveis. Ronaldo, iniciou sua participação no painel contando um pouco da sua trajetória. “Minha mãe desmanchava uniformes da vale ou mesmo jeans para reaproveitar” contou, explicando sua forte ligação com sustentabilidade. As ações promovidas pelo empreendedorismo social e geração de renda, especialmente através do emprego da mão de obra feminina, colaborando para efeitos sociais benéficos também foram compartilhados. Ronaldo contou, que dentro dos seus processos de pesquisa, deparou-se com a problemática dos tecidos estocados e esquecidos nas empresas. “Então iniciei o processo de redesign têxtil, que é a interpretação de um material em formato atemporal, colocando nele informações autorais que atendam a demanda do mercado. O lixo que não tem solução para a indústria é a nossa matéria-prima”, afirmou. O estilista usa rejeitos de elastano, poliéster, e demais tecidos “encalhados” para criação de peças de luxo. Ecoera, Ecofashion, Dragão Fashion são alguns eventos influentes que recebem as propostas do estilista na passarela.  Qualificação, humanização de mão de obra alternativa, valorização do artesanato foram algumas condutas defendidas pelo estilista, devidamente legitimadas pela sua coerente trajetória criativa, exemplificando em ações práticas e concretas, como podemos mudar o modo de produção atual para um mais sustentável elevando o valor da cadeia.

A abertura de perguntas trouxe a tona elogios dos estilos apresentados por Ronaldo. E também citou a crise atual, como um desafio da ABVTEX para promover suas missões ao mercado.

Fonte: Vivian David | Fotos: Equipe Guia JeansWear