Festival do Jeans de Toritama se reinventa em formato digital

Realizada no formato totalmente online, a 19º edição do Festival do Jeans de Toritama trouxe o tema “Ressignifique” – que seria usado anteriormente no evento presencial, mas que casou perfeitamente com o momento atual.

A primeira edição digital do FJT alcançou enorme sucesso de público, com quase 30 mil visualizações. O evento aconteceu entre os dias 7 e 8 de agosto, ao vivo, sob a direção de Thiago Alexandre e atrações como talks, desfiles e música com Kevin Ndjna.

A apresentação ficou por conta da atriz Paloma Bernardi, que também conversou com a fashion influencer Nanda Figueiras sobre o que mudou no cenário atual da moda, e com o estilista Alexandre Herchcovitch, que contou sobre sua carreira e a parceria com a Santana Textiles.

“Conheço há muito tempo a Santana Textiles como consumidor, sempre gostei dos produtos pela qualidade e, este ano, a empresa me convidou para uma série de viagens pelo Brasil para falar sobre os lançamentos. Aí veio a pandemia e tivemos que nos adaptar para o digital. Vamos começar a realizar alguns encontros como esse juntamente com os compradores”, relata Alexandre Herchcovitch. “O denim é um produto atemporal, envelhece com o tempo e conta histórias”, completou.

Fli Thiago Alexandre, Paloma Bernardi e Alexandre Herchcovitch

A cidade de Toritama

Toritama, localizada no Agreste pernambucano, é conhecida como a capital do jeans. A cidade é a maior produtora de peças confeccionadas em denim do Brasil gerando emprego, renda e desenvolvimento para a região.

“O Festival do Jeans da cidade de Toritama é a maior plataforma de promoção comercial que nós temos aqui na região. Acredito que esse ano o Festival com a sua reinvenção pelo modelo digital trouxe também algo inovador no sentido de que nós temos também a presença online e entendemos a importância nos dias de hoje, um evento tão significante quanto o Festival. O tema foi a Ressignificação, ou seja, fizemos uma releitura dos nossos valores, dos nossos conceitos, nossas prioridades e nada melhor do que falar em ressignificação numa peça tão tradicional e importante quanto o denim na nossa região”, afirma o prefeito de Toritama, Edilson Tavares.

“Foi bem desafiador, a princípio, para as empresas acreditarem que a gente podia reerguer o projeto e ao mesmo tempo muito satisfatório porque a repercussão surpreendeu a todos, tanto a mim como idealizador como a todos os investidores. Estão todos muito satisfeitos”, afirma Thiago Alexandre, diretor do FJT.

E continua: “E para o futuro serão dois projetos que vão andar juntos agora – o evento físico quando voltar e o digital. Eu acredito que o físico vai ter que ter uma plataforma digital dentro dele, se acontecer no primeiro semestre e talvez no segundo semestre, outro digital, poderemos fazer dois por ano, um físico e um digital. Ainda vamos decidir como será 2021 e como o mercado também vai se comportar”.

“Era chegada a hora de mais um Festival do Jeans de Toritama, e estávamos empenhados para que continuasse com seu crescimento dos últimos anos, mas aí chegou a pandemia e não vislumbramos ainda uma volta à normalidade. Mas o FJT é nordestino, e como todo nordestino, ele nunca desiste, ele persiste, renova e se ressignifica.  E diante de todo cenário caótico surgiu a ideia de fazer o evento em uma versão digital. O projeto foi apresentado pelo Prefeito Edilson Tavares, e durante poucos meses nos reunimos buscando dar vida a ele”, diz Antonio Manzarra, diretor comercial e MKT da Santana Textiles, patrocinadora master do FJT.

“Hoje olhando os dois dias de evento, nos sentimos orgulhosos por estarmos entrando para a história do FJT, como um dos responsáveis deste projeto pioneiro, inserindo no catálogo da moda nacional um evento totalmente digital, de um grande alcance e retorno financeiro para as marcas que desfilam”, complementa Manzarra.

Desfiles

Ao todo, foram 17 desfiles de marcas da região, dentre confecções, tecelagens e estilistas. A 19° edição do Festival contou com o patrocínio da Santana Textiles, Prefeitura de Toritama, Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper), LGN Lavanderia, Brisanet, Pernambuco Têxtil, Pinheiro Aviamentos, Parque das Feiras, Jolitex Denim e APVS Brasil.

Estiveram presentes na Passarela do FJT as marcas Magdis Jeans, Believe, Via Charmy, Jolitex, Luvit, Pernambuco Têxtil, Estilistas da região, Zumvest Kids, Pinheiro Aviamentos, Ricko Amesh, Base Única, Enixs Jeans, Zigurat, Santana Textiles, Missing Jeans e Brytch.

As marcas trouxeram como principais tendências o foco nos tops com destaque para os ombros marcados, principalmente mangas bufantes, com recortes ou mais abertas, mix de tecidos, babados e franjas. Salopetes, macaquinhos e macacões surgem para todas as idades e ganham interferências useds ou surgem no estilo flare ou boca de sino, com barras viradas ou na modelagem ajustada. O Verão 2021 pede ainda muitos vestidos com cintura marcada, no estilo chemisier, com saias assimétricas, decotes nas costas, leves brilhos e franzidos. As saias passeiam entre as minis, mídis e no estilo lápis com fendas e zíper frontal.

Entre as calças, as modelagens skinnies continuam fazendo sucesso com efeitos destroyers, mas ganham destaque também a reta, baggy, clochard, pantacourt e principalmente a bomber com punho nas pernas. Em lavanderia entram patches, joelhos marcados, respingos de tinta, esbranquiçados e bigodes para os meninos, efeitos tie-dye, dip dye e descarregamento de cor com reservas para as meninas. Os shorts ora surgem com barras viradas ou com laterais mais largas.

Num momento onde menos é mais as lavagens somente amaciadas em tecidos nobres mais leves e  no 100% algodão, podem ser vistas em modelagens inovadoras como a coleção da Santana Textiles. A tecelagem buscou inspiração nas paisagens nordestinas e nos azuis juntamente com elementos quentes e terrosos em vestidos com vazados que mais pareciam rendas, tiras sobrepostas, costuras contrastantes, tressês, patches conquistados em lavanderia, recortes de folhas e transparências.

Já a Brytch Jeans apostou no street glam com shorts clochard com cinto do mesmo tecido, cinturas mais altas, calças bomber com faixas em diferentes lavagens e tie-dye esmaecidos. A Pernambuco Têxtil uniu o brilho ao jeans com faixas que ganham metalizados, franjas, puídos e muitos navalhados. O liocel entra em camisas e as estrelas aplicadas surgem na jaqueta. Destaque também para as pantalonas e casacos alongados.

Por fim, a Jolitex Denim buscou inspiração na atemporalidade dos anos 70 e 80 com muitas mangas abertas, babados, macacões workwear e pantacourt.

 

Fonte: Vanessa de Castro | Fotos: Divulgação