G-Star fazendo moda para quem entende de moda

Assinada por Pierre Morisset, as peças apresentadas pela G-Star nas passarelas construíram fama por apresentarem informações de moda absolutamente habilitadas à transitarem pela moda de rua. As coleções trazem sempre fits diferenciados com peças recortadas e repletas de pences, misturando materiais e aviamentos inéditos em pequenos toques de moda. Uma fórmula que garante o equilíbrio entre vanguardismo e discrição.


Além disso, a marca mantém com zelo o hábito de explorar as possibilidades do denim tanto em seu aspecto bruto como vintage.


Os jeans masculinos nos seus mais variados toques e beneficiamentos, têm em comum uma modelagem específica, muito “bem resolvida”, com pernas arqueadas por pences, costuras retorcidas e discretos recortes curvos ou retos “quebrando” o entrepernas. Um truque “veste” a silhueta masculina com volumes diferenciados, deixando estilosas sobras de tecido formando dobras e ondulações em localizações antes reservadas apenas à efeitos de lavagem. O resultado visual comunica conforto e vanguarda sem grandes “alardes”. E é justamente esta característica que torna as peças da G-star aptas à transcenderem as passarelas.


Recortes e inovações na construção são colocados nas peças como informações de moda altamente “sigilosas”, fazendo-se notar apenas ao seu público particular graças à pespontos discretos no mesmo tom do índigo e sem marcação nas peças brutas ou acompanhados por efeitos de lavagem dissimulando tais interferências nos vintages. A fisionomia da “five-pockets” é desenhada com capricho em diversas versões e torna-se a base que garante que tanto experimentações na forma quanto no design de lavanderia possam ser explorados sem o risco de “pecar” nos excessos. Bigodes, devorês, lixados e amassados agregam valor e conceito às peças.


Entre os diferenciais explorados pela G-Star na coleção masculina da temporada, destaque para fechos com limpeza de borracha, suspensórios de couro (lembrando a tradição e a história do denim ao trazer a referência do estilo worker), martingales, mistura de materiais em pequenos toques de moda, bordados com números, palas “quebradas” por recortes, pespontos diferenciados dispensando metais ou travetes de reforço, braguilhas abotoadas marcadas pela lavagem e estampas localizadas que exaltam o poder e a grandiosidade da marca. Já nos shapes, a ênfase é dada por ganchos rebaixados e pela modelagem arqueada em diferentes níveis no entrepernas, construída por recortes curvos que frequentemente se estendem à vista frontal convertendo-se em costuras retorcidas.


Tal estratégia de design, que modifica e ao mesmo tempo mantém a tradição da história do denim, trazendo informações de moda “elitizadas” reconhecíveis apenas pelo olhar criterioso dos “entendidos do mundo fashion” parece ser o segredo da preferência dos produtos da marca pelo público “fashionista” e pelos amantes do jeanswear. Confira as fotos com descrição dos detalhes.


VIVIAN DAVID | FOTOS: REPRODUÇÃO