Gigantes da moda investem na prática

O fechamento do ciclo na cadeia de suprimentos de vestuário – ou seja, a inclusão da exigência de reutilização na rotina dos processos de desenvolvimento – vem apresentando um cenário bastante animador a longo prazo. Cada vez mais marcas influentes e formadoras de opinião estão apostando em lançar produtos que incluem o uso de fibras recicladas na composição. É o caso da G-Star, Kuyichi e H&M, que têm apresentado iniciativas demonstrando tal ambição: reutilizar, reciclar, e dar vida nova ao vestuário velho.



Em um evento organizado pelo grupo de sustentabilidade Made-By, representantes das marcas de denim G-Star e Kuyichi revelaram como estão incluindo algodão reciclado nos seus produtos. Atualmente, a G-Star recicla o denim usado pelos seus funcionários e de produtos defeituosos, enquanto a Kuyichi lançou no mês passado um sistema batizado Deposit Denim.



Trabalhando em parceria com a Texperium, o diretor de vendas internacionais da Kuyichi, Peter Schuitema, antecipou que a empresa pretende incluir até 40% de fibras recicladas nos seus jeans. Outra varejista que está a apostando em práticas similares é a H&M, que lançou um projeto de reciclagem de vestuário em dezembro do ano passado. O especialista de ciclo de vida da empresa de moda, Erik Karlsson, revelou que recebeu 750 toneladas de vestuário desde fevereiro. “Fechar o ciclo nos têxteis, fazer novo a partir de velho é a nossa ambição a longo prazo”, ressalta.



Nick Morley, diretor de sustentabilidade na consultora Oakdene Hollins, antecipa que os consumidores vão tornar-se cada vez mais cuidadosos com a forma como descartam suas roupas. E opina que acredita em um cenário futuro, onde 70% a 80% do vestuário descartado será recolhido para reaproveitamento “Vai tornar-se rapidamente uma prática muito valiosa”, concluiu Morley.


REDAÇÃO / FOTOS: REPRODUÇÃO