H&M investe no mercado indiano

Tanto a H&M como a espanhola Inditex têm registrado um desempenho melhor do que a maioria dos varejistas de vestuário, à despeito de uma economia global instável. Tal mérito, se deve à estratégia de trazer os modelos das passarelas para o consumo de massa, à uma fração reduzida de preço.



Mas a H&M ficou para trás devido à menor presença da companhia em mercados emergentes de rápido crescimento: cerca de 80% de suas vendas ainda se realiza na Europa. Já a Inditex, possui cerca de 20% de suas vendas registradas em economias asiáticas, contra 6% da H&M.



Fredrik Olsson, diretor de expansão da marca, revelou que a H&M apresentou um pedido de investimento para o governo indiano. Atualmente há uma imensa procura de varejistas internacionais buscando expansão na índia, efeito da alteração na legislação do país permitindo a criação de subsidiárias locais par empresas estrangeiras. No entanto, ainda não há um prazo definido para a abertura da primeira loja H&M no país. A Inditex, já se encontra no mercado indiano, através de uma joint-venture.



Nos últimos anos, a H&M tem adicionado outras marcas ao seu mix, como & Other Stories, visando ampliar sua base de clientes e alinhar-se à diversidade de marcas oferecidas pela Inditex. Olsson indicou que na Índia a H&M irá começar com sua marca principal, comercializando nove categorias de produtos diferentes.



A H&M tem como objetivo aumentar o seu espaço de vendas para cerca de 10% a 15% ao ano, em comparação com a meta de longo prazo da Inditex de cerca de 10% ao ano. A maioria das aberturas de novas lojas para este ano está prevista na China e nos Estados Unidos, à semelhança do que aconteceu em 2012. A H&M vai ainda abrir também uma loja na Austrália no próximo ano, o segundo país no hemisfério sul depois de ter entrado no Chile. Estão previstos outros novos países para 2014, e o Brasil é apontado como um mercado potencialmente interessante.


REDAÇÃO / FOTOS: REPRODUÇÃO