Inverno 2014 – As tendências em lavagens, fits e cores

Em continuidade aos apontamentos percebidos nas principais feiras que reuniram as marcas globais do universo jeanswear – à saber Premium, Panorama e Bread&Butter – o GuiaJeanswear publica através deste texto os principais direcionamentos do universo índigo para o inverno 2014.


Desta vez, o foco serão os comprimentos, formas, lavagens, fits, cores e beneficiamentos das coleções com destaque para as calças curtas que invadiram de vez as coleções, bem como as glamourosas golas que conferiram notabilidade à camisas, casacos e jaquetas.


Também os acessórios e o “mood” delicado com que os mesmos dialogaram com o jeans tudo isso e também a fibra de linho percebida como uma grande “sacada” das coleções em jeans nas feiras visitadas.


FITS

Calça curta

Pula brejo, pescador, capris, longueti, cigarrete… A nomenclatura dada às calças curtas é indiferente, porém sua presença no mix das coleções em jeans é obrigatório. Agarradíssimas ou seja, na versão do fit super skinny – pode-se considerar este o principal visual deste comprimento. Pouquíssimas marcas investiram nas carrots curtas, porém vale lembrar que a modelagem permanece um belo apelo para criar um mix diferenciado na coleção.
Camisas e jaquetas

Ajustadas ao corpo e com corte slim fit as camisas ganham sobreposições e altura nas golas, e são embelezadas com aplicações de pérolas, cristais, bordados, e renda. Algumas marcas preferiram desconstruir a camisaria costurando-as do lado avesso, aplicando vários patches em tons diferentes de índigos imitando verdadeiros remendos na peça, explorando a lógica da microtendência do “squared denim”. O resultado é um visual atualizado par a camisa, ousado e com jeitão handmade ainda que por processos industriais. Nos casacos e jaquetas além dos adornos das camisarias percebeu-se a inclusão da pele como mais um artifício. American Retrô caprichou na gola da jaqueta jeans incrementado-a com muitas pérolas que caiam sobre os ombros da peça.


CORES

Amarelo – O novo rosa
Há quase duas décadas presente no guarda roupa masculino, o rosa dá a vez ao amarelo que cada vez mais aparece na camisaria e agora no jeans puxando para o lado do ocre e mostarda queimado.

Vermelho
O tom vermelho cada vez mais se encontra nas calças jeans masculinas puxando para o tom alaranjado queimado, ou ainda um ferrugem avermelhado sempre com barra virada e um tom que sobressai para destacar na peça.

Verde exército e verde folha, azul Klein, laranja queimado e rosa envelhecido acompanhava a cartela de cores expostas nos show roons das marcas Big Blue, exit_brooklin, Gsus e da marca japonesa Kuro, enquanto que a Cimarron conhecida por trabalhar com infinitas cores de sarjas, apostou em cores pastéis, claras e sóbrias.

Barra virada colorida – As barras viradas continuam dando cor as peças, marcas como Timezone GNIOUS, e KGS investiram em Denins que tem a trama colorida para dar glamour a esse detalhe.


LAVAÇÃO

Os efeitos vintages permanecem em sua evolução, as peças estão cada vez mais limpas, com bigodes tridimensionais na virilha, atrás ou nas laterais do joelho e barra. Apesar da extensão da aplicação dos bigodes nas calças, os mesmos enriquecem a linguagem jeanswear aperfeiçoando cada vez mais os vintages. Os graus de desbotes continuam variados, desde um délavé bem trabalhado no envelhecimento até uma peça escura com vestígios de vintage também como mostra as peças fotografadas nos show roons das marcas, kuyichi Japan rags e Luck and Cover.
Respingos sutis de pigmentos em tons branco, preto, vermelho e azul são ministrados tanto sozinhos quanto misturados.
Na customização dos vintages, o destaque ficou por conta dos cerzidos que fechavam buracos gigantes em várias partes da peça relembrando a calça do trabalhador que era remendada tantas vezes conforme ia furando, até se tornar um patchwork de índigos, evidenciando a imensa estima dedicada à calça jeans em sua trajetória histórica, a marca italiana Fornarina entre outras marcas fashionistas representaram bem esses remendos.


ACESSÓRIOS


Metais – Para embelezar as peças vintages, os aviamentos aparecem não como adornos principais, mas como objetos necessários para o enriquecimento das peças. Os dourados se destacam em metais como rebites, botões e tachas redondas ou piramidais tais aviamentos também ganharam esporádicas versões em banhos envelhecidos quanto o objetivo era criar uma sinergia na peça. Concluindo, ainda é soberana a lógica de combinar tanto o beneficiamento que a peça recebeu, quanto sua aparência, com os acessórios. Marcas como a italiana Fornarina investiram alto adornando peças de cima a baixo.

Etiquetas – O couro permanece o material preferido das marcas, sempre com uma pitada de bordado e/ou metal. Em alguns momentos o bordado construído no lugar de uma etiqueta aplicada se torna o diferencial.

Caveiras – Apesar das coleções brasileiras terem sobrecarregado nesse adorno, as principais coleções jeanswear do mundo continuam investindo-o em suas coleções, principalmente em botões e rebites.

Correntes – Aparecem grossas e envelhecidas, presas entre rebites ou etiquetas. São aplicadas em em bolsos nas calças masculinas, finas e delicadas nas calças femininas acompanhadas de taxas, cristais ou pérolas aplicadas ao bolso.

Pespontos – Algumas marcas preferem uma peça discreta usando um tom de linha azul-índigo para pesponto, dando preferência a aparência do efeito vintage já outras brincam de misturar cores branco com azul-índigo ou ocre com cáqui.

Rendas – Em bolsos, ou até mesmo na lateral da calça, a renda aparece colada proporcionando um jeans romântico e bonito como a peça fotografada da marca Mac.


TECIDOS

Na composição com o algodão, o linho ganha cada vez mais campo tornando-as peças, confortáveis, despojadas e frescas. Essa composição aparece tanto em denins leves para camisaria e vestidos como nos mais pesados para calça jeans.


Confira nas próximas matérias do Guia de Tendências todas as gamas dos apontamentos percebidos nas principais feiras mencionados nessa matéria!

IOLANDA WUTZL | FOTOS: EQUIPE GUIA JEANSWEAR