Japão e suas técnicas tradicionais têxteis em jeans

As opções de livros para os amantes do jeanswear só aumentam, e a bibliografia para os denim lovers se mostra cada vez mais plural. Recentemente mostramos três novas publicações que deram o que falar no universo jeanswear. Agora descobrimos mais duas opções, dessa vez que olham para o denim japonês e suas técnicas tradicionais de acabamentos e trabalhos de superfície: Boro – Rags And Tatters From The Far North Of Japan (2009), e Mottainai: The Fabric of Life Lessons in Frugality from Traditional Japan Art in the Garden (2011).

A tradição do heritage denim, algo como jeans “herança”, vem conquistando ocidentais principalmente na Europa e já podemos ouvir com mais frequência as palavras “boro” e “shibori” também aqui no Brasil. O boro é, colocando de uma maneira simplista, um trabalho de patchwork. Ele vem da ideia ‘mottainai’ ou ‘too good to waste’, ou seja, algo “muito bom para ser desperdiçado”.

Partindo dessa ideia, vários pedaços de tecido são costurados artesanalmente até formarem uma peça, ou, quando uma peça se desgasta, seus buracos são remendados com outros tecidos. O boro é uma tradição antiga que nasceu no século 17 no Japão, a partir das mãos de artesãos, camponeses e comerciantes que não podiam pagar pelos kimonos de seda, e criavam suas próprias vestes. Hoje, a técnica é extremamente valorizada e uma peça pode valer milhares de dólares.

E é especificamente sobre isso que o livro Boro – Rags And Tatters From The Far North Of Japan (2009) aborda e explica para quem quer conhecer mais sobre o assunto, que a cada dia que passa conquista mais pessoas. O boro é bastante abordado também no meio da moda eco-friendly, já que essa valoriza o reuso e a reciclagem, principalmente de produtos que são bons demais para serem desperdiçados e jogados em grandes aterros sanitários. Nesse link, em inglês, uma explicação detalhada sobre o boro vai te aquecer para o livro, que você pode comprar via Amazon.

Já o segundo livro, Mottainai: The Fabric of Life Lessons in Frugality from Traditional Japan Art in the Garden (2011) , como o nome sugere, aborda diversas técnicas japonesas tradicionais que fazem tecidos e peças “too good to waste” ainda melhores. O livro conta com 60 páginas e é editado em forma de fotografia com suas respectivas explicações sobre as técnicas. A publicação é resultado de uma exposição que aconteceu no Portland Japonese Garden, da união de duas galerias de arte de tecidos, a Sri, de Nova York e a Kei, de Kyoto, ambas especializadas em tecidos japoneses. Para comprar o livro, entre em contato através do email da galeria americana.

MARINA COLERATO | FOTOS: REPRODUÇÃO