Jeplan produz fio reciclando poliéster de roupas descartadas e garrafas PET

Especialista em reciclagem de tecidos, a empresa japonesa Jeplan está se esforçando para alcançar a meta de reciclar 10% de todas as roupas usadas e indesejadas do mundo inteiro. Neste contexto, a companhia desenvolveu um processo inovador chamado BRING Technology, que recicla quimicamente o poliéster de roupas pós-consumo e garrafas PET.

A tecnologia difere do atual processo de reciclagem mecânica de poliéster, garantindo matérias-primas para plásticos e têxteis com a mesma qualidade do poliéster virgem e de forma infinita. Vale destacar que emissões de CO2 na produção de poliéster para têxteis são quase três vezes maiores que as do algodão.

“A indústria da moda é uma das indústrias mais poluentes do mundo, e a expansão do fast fashion não seria possível sem o uso crescente de poliéster, que é relativamente barato e facilmente disponível e agora é usado em 60% das roupas do mundo”, disse Masaki Takao, co-fundador e CEO da Jeplan, ao portal Stylo Urbano.

A empresa busca “fazer circular tudo”, mas precisa que os consumidores participem ativamente do esforço para que seu projeto de reciclagem tenha um impacto real e duradouro na redução do consumo de energia e óleo na indústria de confecções.

Para alcançar seu objetivo, a Jeplan estabeleceu pontos de coleta por diversas partes do Japão em colaboração com grandes marcas de varejo e vestuário para coletar roupas descartadas. A partir das coletas, a empresa recicla os materiais e os vende de volta para estas mesmas colaboradoras e seus consumidores.

Os planos de expansão já estão no radar da Jeplan, que planeja estabelecer sedes em França, Taiwan e Estados Unidos. “Queremos que nossa empresa se torne global e tenha impacto não apenas no Japão, mas também nos EUA, Europa e Ásia […] Se pudermos expandir nossos negócios e mudar a cadeia de suprimentos da moda, acreditamos que podemos reduzir a dependência do petróleo na indústria da moda”, finalizou Takao.

Fundada em 2007, a Jeplan também já participou do projeto que reciclou roupas usadas em bioetanol, que foi então usado para alimentar um carro de forma sustentável.

Fonte: Redação | Foto: Divulgação