Laboratório de Modelagem

Estamos mesmo vivendo a era da intensidade, onde seja qual for o estilo busca-se intensificar emoções através da moda valendo-se da cor, da forma e do conceito.

O fato é que nas coleções – inclusive das marcas do segmento jeanswear – não basta apenas planejar í­tens com detalhes de moda. Em uma boa parcela das peças há que se dedicar a experimentar recortes, inventar novas localizações para pregas e pences enfim descobrir novas fisionomias para o jeans ou seja, há que se montar um verdadeiro laboratório de modelagem.


Assim, as coleções de jeanswear são invadidas por uma verdadeira competição onde vence a construção mais complexa, com os recortes mais engenhosos – uma verdadeira febre de exibicionismo, pura falta de modéstia.


A idéia é oferecer a chance de transformar looks do dia-a-dia em produções incomuns, verdadeiras extravagâncias da forma absolutamente protegidas sob o rótulo de um básico universal: o jeans.


A Salsa é uma marca que já vem ostentando esta lógica há diversas temporadas, e aposta novamente na complexidade da construção de suas peças para compor seu diferencial. Na lista de extravagâncias da marca constam recortes pontiagudos em denim de tonalidades diferentes, ganchos exageradamente baixos, joelheiras, bolsos frontais montados a partir de recortes e construções no entrepernas, entre outros detalhes a serem investigados pelo observador.


Outros recursos interessantes que surgiram nas coleções das grandes marcas foram pregas laterais (Milk Roses), recortes arredondados (Core e Henleys), pences criando volumes e curvas no shape das peças (Jack Jones, Henleys e Timezone) além de bolsos compostos a partir de construções inéditas ( Yell e Busurbanwear).


Para alegria de designers e modelistas: mãos a obra! Vale experimentar e criar modelagens sem modéstia, ostentando perí­cia e criatividade nas construções.

VIVIAN DAVID | FOTOS: EQUIPE GUIA JEANSWEAR