Manifesto incentiva o uso do algodão

O algodão é a principal matéria prima que faz girar todo o ciclo da indústria do denim, porém atualmente o mesmo vem sendo substituído de maneira crescente, por tecidos que simulam seu toque e visual. A prática, que é global na indústria da moda, e extrapola o segmento jeanswear, ganha visibilidade desta vez pelo seu lado negativo, através de uma criativa “campanha manifesto” lançada pelos produtores americanos e importadores de algodão. Os protestos começaram durante a semana de moda de Nova York em setembro, e durante três dias chamaram a atenção dos fashionistas com manequins despidos, e agora seguem ganhando visibilidade crescente na internet.



A campanha intitulada “É algodão ou nada”, busca conscientizar o consumidor sobre as principais “falhas” destes tecidos em comparação com os convencionais que usam algodão, tais como odores, bolinhas, coceira, deformações e perda do formato original do tecido. O objetivo é reverter a crescente prática na indústria da moda, e esclarecer a insatisfação do consumidor final para com o desempenho das composições que tentam substituir o conforto do algodão, porém pecam no desempenho durante o uso.



O irreverente protesto, coloca como principais militantes os manequins, que desgostos com a troca das roupas favoritas por tecidos inferiores lançam um divertido discurso. “As fábricas estão substituindo o algodão das nossas roupas favoritas por tecidos misteriosos e nós, os manequins, não podemos mais aceitar isso. É hora de agir. Nós vestimos as roupas primeiro, mas vocês serão as próximas vítimas. Ajude-nos a manter nossas roupas ricas em algodão. É algodão ou nada!”



No site www.cottonornothing.com há espaço para se inteirar sobre o movimento, tornar-se um militante e mesmo pesquisar falhas comuns nos tecidos que simulam o algodão. Abaixo, o vídeo da campanha.


VIVIAN DAVID / FOTOS: REPRODUÇÃO