Minority Denim desenvolve tingimento à base de produtos orgânicos

Sabe-se que o mercado jeanswear é um dos segmentos que mais polui o meio ambiente. Porém diferentes empresas, em todos os processos do denim vem avançando em diferentes tecnologias e inovações na busca por uma moda mais sustentável.

É o caso da marca portuguesa Minority Denim, com sede em Vila Nova de Famalicão, que acaba de desenvolver o projeto BioTint, um sistema de tingimento natural à base de desperdícios orgânicos e sem utilização de produtos químicos. As nove cores, entre elas, rosa, laranja e amarelo, são provenientes de folhas de eucalipto, café usado, casca de cebola, rúbea e sementes de árvores.

“O feedback está sendo incrivelmente positivo, porque isto vai muito mais além da questão da sustentabilidade. São resíduos que à princípio não teriam valor acrescentado na economia e nós voltamos a dar uma segunda via a estas matérias-primas no tingimento das peças”, afirma Diogo Aguiar, CEO da Minority Denim, que comentou que mais cinco novas cores estão em desenvolvimento.

Minority Denim foi fundada em 2015, contando com três colaboradores e um laboratório destinado para a área têxtil. O BioTint começou a ser desenvolvido há três anos e já pode ser encontrado no mercado. Diogo Aguiar espera conquistar clientes que partilhem dos mesmos ideais de sustentabilidade e de economia circular, e que demonstrem interesse neste produto específico.

“Tentaremos trabalhar com clientes de diferentes áreas de produto para que o interesse não se esgote facilmente. Acreditamos que o mercado como cliente final será maioritariamente internacional, mas os nossos clientes poderão muito bem ser produtores nacionais”, apontou.

“Contudo, tentaremos estar muito ligados às marcas que o utilizem para podermos passar o máximo de informação possível para potenciar a comunicação e a acreditação”, finalizou.

 

Fonte: Redação | Foto: Reprodução