Novas misturas estão redefinindo a composição do denim

A cadeia de suprimentos está reinventando a definição do seu principal protagonista: o denim. Com a sustentabilidade colocando-se como caminho direcional para a maioria dos fornecedores, os investimentos no futuro do insumo subitamente, estão encontrando caminhos para manter sua origem no visual e, ao mesmo tempo, alterar completamente sua composição. Fibras alternativas, pequenas misturas e componentes biodegradáveis, representam as principais direções.

Nesta trajetória evolutiva, o Cänhamo – a versão industrial da planta de Cannabis – está se posicionando como um dos grandes destaques. E aqui abrimos um parêntese para esclarecer a diferença da sua versão industrial para a sua variedade polêmica. O Cânhamo é de fato, a mesma espécie de planta da Cannabis. Porém, cultivada com um percentual de THC muito mais baixo do que suas versões criadas com intenções de efeitos psico ativos.

É também uma planta poderosa, pois consegue produzir o dobro da quantidade de fibras se comparado ao algodão – com menos água e pesticidas. Nesses moldes, já vem sendo usada a muito tempo, para produção de papel, alimentos, cosméticos e medicamentos.

Feito o esclarecimento, resta dizer que a fibra de Cânhamo está entrando fortemente (e rapidamente) no têxtil, principalmente no denim. Nos Estados Unidos, a adesão vem sendo motivada por leis recentes, como a Farm Bill, implementada em 2018. Já na Ásia e Europa, o grande impulso é o custo de produção menor, que tem motivado tecelagens como a Artistic Denim Mills Arvind e Naveena a incluir o material em suas misturas.

Na mais recente edição da Kingpins, a tecelagem Arvind apresentou o lançamento Hemp Exotica, uma variedade de denim com misturas de Cânhamo elogiada pelas sua durabilidade e por possuir propriedades anti-microbianas, fator de proteção UV e resistência mais elevada à abrasão. A fibra também mostrou se valor, pelo potencial de agir como uma camada térmica, além de apresentar retenção superior da cor. A fibra alternativa do Cânhamo representou também uma importante fatia dos tecidos apresentados pela Artistic Denim Mills para o Verão 2021.

Além do cânhamo, a ênfase em materiais reciclados está ganhando seu grande momento. E aqui não estamos falando apenas do algodão mas também de fibras sintéticas muito específicas, como o poliéster preto, que está sendo reaproveitado em tecidos da fabricante Cone Denim. Também a fibra Repreve, de poliéster reciclado, grande protagonista do mix da fabricante Kaltex, que permeou diversos lançamentos.

Para além das fibras, circularidade nos tecidos envolveu também o tingimento do fio. Outros pigmentos estão surgindo para substituir os métodos convencionais, como um liquido preto adotado pela Artistic Denim Mills, que dispensa o sulfato no processo de tingimento, reduzindo assim o impacto ambiental em até 60%. Já a Candiani, incluiu no mix a variedade de tecidos V Sizing, diferenciada por um componente vegetal dimensional 100% biodegradável e não tóxico substituindo o trabalho de químicos perigosos geralmente usados como PVA, assegurando ao tingimento um processo livre de microplásticos.

Vale destacar que o V sizing funciona como uma alternativa vegana substituta do Kitotex, uma tecnologia de tratamentos químicos feita de comida descartada.

E se entre os lançamentos das tecelagens Cânhamo foi a ousadia e poliéster a surpresa, o algodão –  este representou a principal obrigação. Candiani voltou-se ao ReSolve, feito de algodão orgânico e elastano biodegradável. A Cone Denim vem realizando abordagens sustentáveis do insumo de forma diversificada, empregando-o em versões recicladas mescladas ao elastano, incluindo suas procedências de cultivos eco-friendly, adotando o formato da fibra Repreve ou tingido-a com índigo destilado e ecológico – além de enfatizar bastante as misturas com Tencel.

Já a Artistic Milliners continuou investindo no Circular Blue, uma variedade de tecidos feita com 80% do algodão proveniente do descarte de resíduos industriais, e 20% pós uso pelo consumidor.

Com um esforço robusto partindo das tecelagens para introduzir fibras recicladas e biodegradáveis para a temporada de Verão 2021, outros segmentos da cadeia de suprimentos, como dos acabamentos e aviamentos, estão examinando de que forma podem construir a circularidade em seus processos. Mas este, é conteúdo para as próximas análises.

Fonte: Vivian David | Foto: Reprodução