O Guarda-roupa índigo

“Guarda-roupa” índigo que se preze deve conter peças básicas com “cara” de exclusividade, e peças exclusivas com “cara” de básicas. Afinal, são estes ítens que acabam por s e tornar os mais “populares” das coleções desejo de consumo inegável e importante “tempero” que incrementa o mix de produtos do segmento jeanswear.


Para alcançar tal efeito ítens mais básicos como jaquetas, camisas e tops em denim vestem lavagens mais “arrumadinhas”, modelagens mais “incrementadas” e aviamentos mais “caprichados”.


Já as peças mais diferenciadas como macacões e vestidos seguem o caminho inverso e tomam emprestado a fisionomia destes mesmos ítens básicos – como a camisa em denim – e na maioria das vezes optam por lavagens e volumes que comuniquem conforto. Daí a popularidade do vestido-camisa nas araras das grandes marcas.


E por falar em peças diferenciadas, destaque para os coletes que são ítens transformadores do look por serem convidativos às sobreposições. Em aparições limpas e minimalistas com referências de alfaiataria ou tomando emprestado o design de jaquetas convencionais (apenas dispensando as mangas) eles representam a mais legítima opção do “guarda-roupa” índigo que propõe pura e simplesmente um “toque” de moda a mais no look.

VIVIAN DAVID | FOTOS: EQUIPE GUIA JEANSWEAR