O segredo da sustentabilidade do acabamento Wiser Wash

Travor Harrison, embaixador da missão sustentabilidade no setor denim da marca Pepe Jeans, iniciou sua palestra no evento Denim Days em Amsterdam, dizendo: “Estava visitando um país e o mal pude acreditar no que eu vi: eram rios azuis. E próximo a eles, alguns automóveis Rolls Royce. Choque!”

De acordo com ele, esta visão impressionante da realidade deu início ao programa Tru Blu, há oito anos. E afirmou que: “pela primeira vez, lavagens ecológicas, redução no uso de água, substâncias não tóxicas e eletricidade começaram a pairar nas redes sociais em debate”.

Na época, a ideia, segundo Trevor, era que todos soubessem que a sustentabilidade seria um tópico relevante no futuro, o que era desconsiderado. Ele explicou que o mercado denim pensava mais no preço e no visual, e o tema não engajava as pessoas.

Formado por pessoas influentes com muitos seguidores, o grupo Tru Blu era composto por Kevin Youn, criador do Wiser Wash, India Salvor Menuez, atriz, ativista e artista, Queeny Van der Zande, modelo e conservadora do Oceano e Wilson Oryema, modelo, poeta e ativista.

De acordo com Trevor, essas pessoas começaram a educar os consumidores e a indústria, sobre a importância de um acabamento mais consciente para o denim. Em seguida, o movimento evoluiu para um patamar presencial, através da extinta Breath & Butter.

“Na época, era o melhor evento de moda ligado ao denim no mundo, e foi lá que apresentamos o wiser wash”, contou. Ao explicar que atualmente suas ações se concentram mais na parceria com a gigante Zalando, disse que: “quando apresentamos o acabamento para a varejista, eles nos concederam espaço gratuito fantástico. Então apresentamos nosso azul óptico, em uma lavanderia mais bonita e limpa”.

De acordo com o comandante do mix azul da Pepe Jeans, foi através dessas parcerias que o grupo Tru Blu mostrou aos criadores e consumidores que a sustentabilidade poderia resultar em um produto fashion mais bonito. E foi por meio da união com a Zalando, que conseguiram cativar todos os grandes influenciadores, que tiveram papel fundamental de apologizar o novo tipo de lavagem”.

Após a apresentação, Trevor Harrison deu voz a Kevin Youn, o verdadeiro criador da lavagem Wiser Wash, que ao ser questionado se a lavagem com uso de menos água, e conduta mais sustentável, poderia cativar o consumidor concluiu que isso pode acontecer. “Usamos oxidação: sim, usamos. Usamos água: sim, alguns dizem que um copo para todo o processo – mas não é isso. O que nós fazemos é reciclar a água após o branqueamento da mesma, que é a nossa técnica.”

De acordo com o CEO da Wiser Wash, pela técnica criada a peça é processada pela oxidação do ar, pela abrasão e pelo descoloramento sem o uso de nenhum produto químico abrasivo. E ao final do processo, é enxaguada e seca. “Esse é o processo que substitui a lavagem com pedra e os beneficiamentos com químicos tradicionais”, explicou.

“Nós usamos ozônio para a descoloração, e oxidação do ar, então, não fazemos nenhuma mágica, mas certamente estamos invertendo a lógica de desperdício que sempre marcou esses processos”.

Ao mostrar algumas peças beneficiadas com o método, Kevin de fato convenceu o grande público, iniciando por uma calça clochard com cinto trançado, com um belo efeito de clareamento para o fundo branco, visual que lembrou bastante o stonewash, mas criado por efeitos de abrasão. Kevin explicou que era possível descarregar o índigo trabalhando a beleza das suas nuances, com total controle, exemplificando seu discurso em um belíssimo sobretudo denim com trabalho de matelassê. Na peça, além das variações de tonalidade, foi possível reconhecer um harmonioso efeito ombré.

Mencionando a quebra de paradigma provocada pelo novo tratamento, Kevin comentou “se alguém tivesse me falado desse tipo de processo há seis anos, eu certamente pensaria que seria um assassinato à peça, nunca tinha visto um efeito desses sem químicos,” contou. E finalizou dizendo: “quando consegui realizar o processo em uma peça, tive a certeza de que poderia reproduzi-la em quantas eu quisesse”.

Foi então que de acordo com Kevin, começou a fazer coleções, para grandes lojas, como a Selfridges há dois anos, também ao Victoria Magazine. O fim do “talk” foi marcado pela inspiração, provocada pela manipulação e toque das peças criadas com o acabamento sustentável. Um encerramento motivante que levou todos a acreditarem no crescimento da indústria azul, servindo de modelo para a indústria da moda como um todo. Confira mais informações, em: http://wiserwash.com/

Assista ao vídeo:

 

Fonte: Vivian David | Fotos: Equipe Guia Jeanswear