Passado e futuro estão presentes na moda feminina do Verão 2018

O Senac Moda Informação apresentou seu Preview Verão 2018 na semana passada, em São Paulo com as principais diretrizes da estação. “A equipe junto aos consultores determinou que as informações deveriam ser passadas por meio de histórias que se entrelaçam e se misturam, justificando esse momento de fluidez estética da sociedade. Ainda que contar várias histórias represente uma divisão, pode-se notar que os conceitos são trabalhados de forma orgânica e facilitam a utilização das informações de maneira mesclada. Ou seja, o Preview possibilitou que os espectadores tivessem um respaldo técnico sem prender suas percepções em moldes pragmáticos, colaborando com o uso das informações dentro do contexto em que estão inseridos”, afirma Lorena Borja, especialista em tendências de consumo nos segmentos de moda e beleza.


Confira os principais direcionamentos da temporada para o segmento feminino.


Urbanidades – o streetwear ganha vida em diferentes looks – do clássico ao moderno com muita praticidade e conforto. A mistura de estilos e materiais é muito importante criando novas produções com destaque para os ombros, bordados, tules, rendas, sobreposições, t-shirts, maxiflorais, calças e saias com fendas. Outra vertente desse tema é mais jovem, descompromissado, com a estética que vem das ruas, tecidos mesh e bem esportivos com mangas deslocadas, transparências, bolsos utilitários, capuzes, camisaria alongada e assimetrias. Camuflados e vestidos tubinhos ou box ganham recortes. Os anos 80 também influenciam peças que ganham estamparia divertida e o jeanswear vêm com aviamentos dourados e muitos bordados. Saias e jaquetas curtinhas surgem com efeitos de patchwork.
Amores – aqui o feminino vem sendo repensado e inserido em diferentes estilos, mas principalmente em visuais nada bobinhos, menos românticos, de uma maneira mais enérgica e provocativa. Dentro do Punk Love surgem vestidos lingeries em tons de preto com tiras e tecidos opacos em meio à um conto de fadas mais dark e, onde entram ainda babados e transparências. O mix de tecidos traz paetês, tules, rendas, metalizados, calças com recortes e rasgos principalmente nos joelhos. Navalhados se fazem presentes em t-shirts e calças de couro.


Já para as meninas mais suaves há florais aquarelados, frufus, maxibolsos, mangas bufantes, desenhos de borboletas e passarinhos. O denim ganha bordados com flores no raw. Aqui ainda entram looks campestres em saias e vestidos longos e influência dos anos 50 com cintura marcada e saias rodadas. Sempre valorizando os detalhes, os aviamentos chamam atenção em processos manuais como macramês. O glamour dos anos 80 valoriza a mulher forte, poderosa e baladeira que ama assimetrias, ombros marcados, alfaiataria desconstruída e, muito brilho, foil, drapeados e leggings.


Ecossistema – em meio à tanta tecnologia o oposto surge na valorização das origens e do encontro do homem e da natureza de maneira mais harmônica em paisagens lindíssimas e uma exaltação ao meio ambiente e nossas raízes, desconectando do mundo virtual. Aqui entram referências minerais, de pedras, tecidos rústicos e materiais com texturas onde prevalecem o conforto. Desgastes, listras orgânicas, estampas de bichos, metalizados e o jeans desde os mais escuros até os lavados e desgastados fazem parte deste tema. Dentro da tendência Etno Boho surge inspiração nos festivais, cowboy, esportes e anos 50 numa miscelânea de referências em formas amplas, muitas listras, assimetrias e comprimentos maxi. Já no tema com a cara do Brasil – Balneário Tropical – temos lindas praias com destaque para o nosso país, além de Cuba e Colômbia. Aqui entram tops cropped, xadrezes maiores, elementos náuticos, peixes, mar, flores e folhagens, blocos de cores vivas ou neutras. As cordas surgem como aviamentos interessantes assim como os crochês.


Cores: muitos azuis, inclusive da tonalidade Denim, mais claros ou klein. Looks totais no branco, combinações de preto, branco e vermelho. Tons mais suaves passeiam entre o azul e rosa claros e, amarelo. E, por fim surgem os verdes oliva, alaranjados, neutros, cáquis, acinzentados e tons de especiarias.

VANESSA DE CASTRO | FOTOS: DIVULGAÇÃO