Pegue um e vista dois!

Pegue um e vista dois. Que tal essa proposta? Pois essa é a vantagem oferecida pela maioria dos modelos de vestidos e macacões da temporada. Porém a promessa não é pura e simplesmente a de um macacão que veste por um top e short ou um vestido que completa o look como o faria a combinação de um top e uma saia.


Trata-se de uma peça, que veste dois tempos: presente e passado no mesmo look. E ainda convida toda sorte de estilos e épocas a incrementarem a produção com acessórios e sobreposições.


O passado, está presente na maioria das peças no beneficiamento, que prioriza o estilo vintage com seus puí­dos, amassados, desbotados entre outros efeitos. Algumas peças vão além como o vestido da Berska que traz bordados extremamente detalhados com ares de antiguidade aplicados na peça através de uma lógica extremamente atual (em denim recortado contornando o desenho sem a preocupação do acabamento na borda).


Já o presente está na funcionalidade da construção com cara de básico que predomina na maioria das peças. Nada de extravagâncias ou peripécias na modelagem, no máximo ligeiros detalhes de moda. Na Berska, a maioria dos vestidos e macacões apostaram na feminilidade do tomara que caia, seja em shapes ajustados (vestido com abertura lateral por fecho de metal e barra enrolada) ou despojados (macacão com aplicação de bordado frontal e franzido na cintura). Destaque para o macacão onde a promessa pegue um e vista dois pode ser entendida em seu sentido literal: a parte superior vem estampada compondo uma quebra aparente na construção, que leva o observador a interpretar a peça como um look de duas partes (top e calça).


Seguindo a lógica da construção simplificada e do look com cara de básico destaca-se a Levis com o seu vestido camisa em lavagem clara. Ligeiras interferências de nervuras (detalhe lateral e frontal do vestido da System Action) e pregas na modelagem (elemento que ajusta o shape do vestido da marca Felgar) traduzem o desejo maior por conforto e despojamento presente no espí­rito do nosso tempo.


Na Zara, o lendário macacão tradicional com cara de usado traz do presente a lógica da provocação, sugerindo uma falsa abertura pelo abotoamento fingido na parte superior da peça. Confira as melhores propostas apresentadas pelas grandes marcas.

VIVIAN DAVID | FOTOS: EQUIPE GUIA JEANSWEAR