Perícia no look vintage: Esse é o segredo da marca Kapital

Foi do inconformismo com a prática da simples cópia do estilo do jeans americano, e com a missão de criar algo efetivamente autêntico, que há 30 anos atrás nasceu a marca Kapital, uma das mais conceituadas marcas de jeans com linhagem purista japonesa, com uma presença total de 14 lojas no Japão, Hong Kong e Estados Unidos – sendo que a unidade com maior volume de vendas corresponde à loja de Tóquio.



Localizada em Kojima, a marca foi fundada por Hirata Toshaikio, o qual permanece à frente da presidência da marca, trabalhando com igual dedicação aos 66 anos de idade, ao lado do do filho Kazuhiro (Kiro) Hirata, diretor de criação e responsável pelo desenvolvimento das peças.



A proposta de aspecto vintage é seguida com obediência em todos os detalhes que envolvem a percepção da marca. Cada instalação, independente de cidade ou País, comunica tal conceito, desde a cor da fachada até as pequenas minúcias decorativas do ambiente.



Uma das grandes diferenças estratégicas da marca está associada aos lançamentos das coleções. A cada temporada, ao invés do convencional catálogo, a Kapital lança um livro, desenvolvido por Kazuhiro, relatando o desenvolvimento da coleção e a experiência proposta pela marca desde lugares de inspiração que contenham objetos ou motivos vintages, até o estágio final da coleção levando o cliente (leitor) a participar de todo o processo.



Com um desenvolvimento completamente artesanal, a Kapital produz no máximo 10 calças jeans a cada 15 dias. Apesar disso, as lojas são abastecidas com novidades quase diariamente. Um dos processos criativos mais utilizados no conceito vintage, consiste em desfazer um denim velho e através de uma nova leitura, transformá-lo em algo novo. O objetivo da Kapital, como a maioria das marcas de Kojima, é desenvolver com perfeição o melhor do jeans purista que remeta não só a um conceito mas também uma história, desconsiderando objetivos quantitativos ou metas de agilidade na produção.



Algumas peças tingidas no índigo primórdio são vendidas cruas, isentas de amaciamento, para que o cliente possa ter a experiência de desgastar seu jeans a cada dia, conforme o uso. A proposta da marca é justamente que o cliente crie naturalmente seu próprio jeans de aparência vintage.



Entre as informações mais originais da coleção, estão itens como o jeans confeccionado a partir do denim com urdume mais espesso do que o convencional e tingido com maior intensidade, resultando em efeito pespontão. Também as camisas em denim maquinetado, cujo tecido, construído manualmente, é chamado de kfishibu, em referência a um denim centenário. Seus emaranhados e fios reproduzem uma estampa inspirada em antigas porcelanas francesas. A marca ainda dispõe de acessórios singulares, como o óculos de sol com a armação tingida em corante índigo, e preciosidades como botas, bandanas e casacos que encantam os adeptos de um trabalho artesanal envelhecido com perfeição.



Toda linha da marca é desenvolvida com uma produção própria de denim, utilizando como mão-de-obra trabalhadores em idade avançada, devido ao tempo de experiência dos mesmos para com os maquinários antigos. Idade a parte, os funcionários trabalham com notável prazer e dedicação para a Kapital. Confiram nas fotos, uma síntese deste magnífico trabalho.

IOLANDA WUTZL | FOTOS: EQUIPE GUIAJEANSWEAR