Praticando pequenos “plágios” no universo índigo

Meticulosamente planejados para acompanhar a linguagem imperfeita, o visual desgastado, lixado e até mesmo rasgado do denim: os bolsos traseiros e frontais conservam sua consagrada fisionomia na calça jeans sem no entanto privar-se de um vasto repertório criativo que garante a renovação da sua aparência no decorrer das temporadas.


Tal repertório criativo, de maneira conveniente, com frequência se inspira no próprio universo índigo praticando uma espécie de “plágio” entre os componentes da calça jeans. Enquanto pespontos simulam efeitos de lavagem como puídos recortes repetem desenhos de filigranas, e filigranas por sua vez comunicam o conceito vintage representando a passagem do tempo através de linhas falhadas, rabiscadas ou pontos imperfeitos.


Pequenas “misturinhas” de tecidos e toques de handmade em cerzidos são aplicados com jeitão de puídos, ralados e devorês. Já os bolsos mais triviais, pode apostar: estes frequentemente guardam as construções mais rebuscadas com a finalidade de ocultar pespontos e destacar o estimado desenho do bolso traseiro tradicional.


Enquanto isso, na localização frontal das peças, destaque para os bolsos faca “menos alinhados e mais descolados” graças à reconhecida prática do “plágio” entre os artifícios próprios do denim. Bordas rebatidas para o lado externo, aberturas com desenhos ligeiramente curvos, devorês são alguns recursos observados. Confira as fotos e croquis com sugestões para bolsos traseiros.


VIVIAN DAVID | FOTOS: EQUIPE GUIAJEANSWEAR/CROQUIS: VIVIAN DAVID