Principais direções das feiras Seek e Bright

Seek e Bright: dois conceitos distintos. Enquanto a primeira se propõe a contemplar todos os segmentos e focar marcas conhecidas; a segunda busca o apelo comercial baseado na inspiração do que é novo e experimental. Na Seek, foram três dias de corredores e stands ocupados transcorridos entre os dias 17 e 19 de janeiro em Berlim: mérito de um portfólio atraente de marcas além de um alto nível nas colaborações e eventos paralelos – entre eles a própria Bright.



Nos corredores; a tendência da vez foi o contínuo retorno do lago ugly dos anos 90, em especial através do fit dad jeans (o jeans do papai). Sneakers novamente foram um grande tópico; mas principalmente a feira reuniu um amplo sortimento de produtos em denim, incluindo nomes como Lee, Edwin e Levi’s; a qual celebrou o aniversário da sua icônica jaqueta trucker com customizações realizadas durante o próprio evento.



Já a Bright trouxe um agrupamento menor; priorizando marcas interessantes no que diz respeito à estética. Com um novo layout, mais claro e simples, a feira reuniu marcas do Japão, Coréia e Nova Iorque, principalmente na nova área, intitulada “Outdoor Aesthetics”.



Como consenso, em ambas as feiras o foco de muitas coleções ficou reservado aos detalhes, como zíperes e aviamentos. Um certo jeitão feio foi visto como novo cool, e tivemos muitas peças militares, muito denim jogado em alfaiataria retrô, jaquetas enfeitadas por patches, parkas e cartelas de cores pesadas como militar e dry indigo; contrastando com delavé e tons claros.


VIVIAN DAVID | FOTOS: EQUIPE GUIA JEANSWEAR / REPRODUÇÃO