Região sul apresenta versão regional para as tendências denim

Alças, shortinhos de verão, vestidos e batas para elas. Para eles: bermudas, calças jogging e muita camisaria. É fato, que todos os ítens anteriormente mencionados refletem peças-desejo da estação de calor. Porém nosso diversificado clima nacional, dotado de gostos e preferências com características climáticas distintas; é um inegável fator de segmentação dos estilos que transitam no verão. A edição mais recente da Fenin Fashion RS, que ocorreu entre os dias 5 e 7 de julho na semana passada, colocou em evidência tal afirmativa.



Pode-se dizer que tanto o consumidor quanto a consumidora da região vestem-se com peças mais clássicas. No agrupamento jeanswear da feira, tivemos a versão enfeitada e trabalhada do jeans jovem; como era de se esperar. Porém somado à esta demanda iminente, muitos expositores contemplaram um público de faixa etária mais avançada, com detalhes de moda mais maduros conferidos ao jeans. Além disso, grifes que não interpretavam o denim, como Vivi Fashion e Pura Essência, adotaram o material em suas coleções através de peças criativas, rompendo o compromisso de contemplar a five-pockets como idéia principal.



Tal movimentação, sinalizou que muitas marcas de moda passaram e enxergar no tecido uma espécie de valor agregado para o seu estilo, sem qualquer compromisso com a apresentação de um mix de calças jeans. Já nas coleções masculinas, por sua vez, a pegada fashion da estação foi comedida por lavagens menos excessivas, e por estampas divertidas adequadas pelo corte convencional dos bolsos faca. Confira uma síntese do que as coleções agrupadas pela Fenin Fashion RS Verão 2017 apresentaram:



Pura Essencia: Interpretando a aparência índigo pela primeira vez na coleção, a Pura Essência distanciou o denim de sua leitura jeanswear, e tratou-o mais como lógica de moda em seu sentido mais amplo. Babados, franzidos, rendas, e romantismo pontuaram as peças da coleção, com um toque artesanal conferido pelo efeito bleached.



Victor Marcel:: Aposta no conforto proporcionado pelas misturas do algodão com liocel, percentual maior de elastano nas calças, e uma camisaria caprichosa destacando micropadrões. As bermudas, por sua vez, criaram uma zona de conforto entre o desenho casual e compenetrado dos bolsos faca e as estampas com texturas de manchas e folhagens.



Crocker: A Crocker conciliou seu estilo jovem e diversificado com a exigência de peças maduras da região. Em meio a lavagens ácidas, e muitas pedrarias enfeitando um jeans acessível, houve a expansão dos comprimentos para peças versáteis como a bermuda longa. Nas araras masculinas, a coleção foi bastante elevada pela diversidade atribuída a camisaria, transitando dos micropadrões ao fit justinho com bolsos contrastantes.



Minha Grife: Em Minha Grife a linguagem do jeans encontrou nos rasgos, no acabamento frayed e nos devorês a principal sintonia para conversão de peças essenciais do jeans em leituras mais maduras.



Naraka: A Naraka movimentou seu estilo no sentido de acompanhar as tendências ampliando suas opções em denim para um patamar mais fashion. Assim, além do jeans feminino estampado e adornado por strass, tão representativo do seu DNA; a coleção trouxe regatas em denim com pegada esportiva, vestidos estruturados, e até tops estilo biquíni.



Gangster: Costurinhas vermelhas, detalhes de estampas localizadas, embossing, e etiquetas contemporâneas. O ponto alto da coleção foi dado pelas bermudas, com padrões étnicos e bicicletas; entre outros objetos cativantes. Além dos índigos e brancos da estação, as cartelas de cores variaram do cáqui adequado ao grafite falhado.



Dixie: O ponto forte da coleção Dixie são os materiais e acabamentos que comunicam modernidade no mix masculino. São tons que contemplam desde o mostarda envelhecido, aos vermelhos encardidos e índigos texturados. O cós jogging foi bastante enfatizado, tanto nas bermudas quanto calças.



Mosaico: Poás, chambray, e trabalhos de adornos com correntes trançadas conferiram um toque de exclusividade às peças da coleção. Destaque para as regatas soltinhas e para os vestidos com jeitão de saída de banho, e suas possibilidades de livre trânsito entre o look cidade e praia.



Coca-Cola Jeans: o ponto alto da Coca-cola sem dúvida é dado pelo valor agregado dos tags, que mais parecem brindes e mimos. Couro customizado no acabamento dos cordões de amarração, e penduricalhos em forma de plumas são bons exemplos. Destaque para o efeito frayed acentuado, e para a intromissão criativa de ítens como a saia evasé estampada; bem como os desenhos de bicicletas antigas divertindo a bermuda masculina casual.



Mormaii: O lifestyle referência em surf levou sua pegada de maresia para o jeans através de detalhes trançados em bolsos, devorês frescos, e patches coloridos.



Vivi Fashion: Batas, tops de alcinhas com babados, vestidos levinhos e t-shirts rasgadas, expandiram as possibilidades de intromissão do visual denim no closet da estação em peças mais criativas.



Ton Âge: Verões maduras do jeans fashion foram conferidas por boyfriends rasgadinhas enfeitadas por bordados, pantacourts marcadas por nervuras, e branquinho chic com ripped minimalista.



Pacific Blue: A Pacific Blue trouxe um bonito trabalho de customização com patches nos delavés, apostou nas bermudas femininas longas atualizadas por bigodes, e nos macacões.

VIVIAN DAVID | FOTOS: VIVIAN DAVID