Resort 2018 sinaliza retorno de um mix mais feminino

O feminismo parece ter tomado as passarelas da temporada Resort 2018. Desta vez, não como um tema em si: mas como um direito de propor as tendências e influências em sua versão mais formosa. A favor do denim vestindo saias rodadas, das silhuetas peplum, e dos formatos mais decorativos e menos essenciais para o mix feminino. Assim, transcorreram as falas da estação: com mais cinturas marcadas, ousadas intromissões do beachwear, toques femininos de patchwork em combos; e o deleite de babados e jabôs permeando versões de luxo do vestido denim.



Transitando entre lavagens amaciadas de índigo profundo, e acabamentos lisos de azul médio e delavé; os desfiles que marcaram a entressafra de estações ready-to-wear elegeram como demanda principal do closet feminino o vestido. E ele apareceu em diversas silhuetas: estilo cinquentinha, com cintura marcada e saia godê; tubinho de alcinha, lembrando visual festa social; tomara que caia, despertando luxúria; estilo t-shirt, sequinho e estruturado; desenho college, com golas comportadas e saia evasé; e até silhueta kimono, com ombros circulares e corte amplo.


Evoluindo para peças de duas partes; o look total denim frisou as composições de saias com tops cropped ou jaquetas; sempre buscando formatos femininos – desenho sereia na saia, gola com amarração laçarote, formato setentinha no combo, ou bordados unindo o estilo das duas partes da produção.



O desenho da jardineira e do macacão é menos frisado na estação: ao invés disso, temos a proposta da saia, calça ou pantacourt com suspensório embutido na modelagem. Mas apesar de todo esse universo tão feminino, os desfiles Resort 2018 sinalizaram uma influência remanescente do menswear na temporada. Logo, teremos como segundo mix mais importante; os combos de pantalonas com vincos e cortes masculinos, atualizados por uma forte fusão com o jeitão retrô dos anos 70 – com destaque para o conjunto safári.


VIVIAN DAVID | FOTOS: REPRODUÇÃO