Riachuelo anuncia programa de economia circular

A Riachuelo apresentou, nesta semana, seu programa de economia circular, um modelo sustentável e eficaz que tem como objetivo manter produtos e materiais em seu mais alto nível de utilidade e valor. A iniciativa teve seu ponto de partida já em setembro, quando 46 lojas se comprometeram a implementar a ação em quase 100 operações até o fim de 2020 – cerca de 30% do portfólio da varejista.

O programa é realizado em parceria com a Liga Solidária, uma organização da sociedade civil (OSC) sem fins lucrativos, que desenvolve nove programas de educação, cidadania e longevidade que beneficiam mais de 13 mil crianças, adolescentes, adultos e idosos, reforçando sempre seu protagonismo e potencial transformador.

A varejista instalou um coletor na área de venda em um local visível para que os consumidores depositem os produtos que não utilizam mais, que serão reciclados ou restaurados. Peças como roupas, calçados e acessórios podem ser doados e não há restrição de marcas.

Num segundo momento, os produtos são mandados para o Centro de Distribuição da Riachuelo e após todos os processos internos, a Liga Solidária direciona as peças para o Bazar da Liga, localizado no Complexo Educacional Educandário Dom Duarte, onde estão mais de 80% dos programas sociais da OSC. O local, além de oferecer produtos com baixo custo, também atende as demandas das famílias encaminhadas pelos programas.

“Para nós, entendemos que é impossível que uma empresa como a nossa não consiga pensar no ciclo de vida do seu principal produto. Não se trata só de um programa de sustentabilidade, mas social também. Mais do que diminuir os impactos da cadeia produtiva da moda, estamos gerando emprego e renda para quem mais precisa. Estamos muito felizes por começar este programa e muito otimistas com a expansão para lojas de todo o Brasil”, apontou a head de comunicação corporativa e marca da Riachuelo, Marcella Kanner.

Inicialmente, as lojas integrantes ao programa são da grande São Paulo, mas o objetivo é que roll out aconteça para todas as regiões do país.

“A economia circular sempre esteve presente no DNA da Liga Solidária há quase 100 anos, poder fazer parte de uma iniciativa como essa, só reforça a nossa missão de dar protagonismo para nossos beneficiados, por meio de novas formas de pensar e agir, criando um novo futuro para nós e para nossos semelhantes. Pois, quando se pensa no planeta, não existe jogar dentro ou fora”, destaca Rosalu Queiroz, presidente voluntária da Liga Solidaria.

“O Programa de Economia Circular da Riachuelo chega para reforçar ainda mais o nosso propósito de transformar vidas por meio da moda”, complementa a executiva.

Fonte: Redação | Fotos: Divulgação