Semana da Moda e Cultura aborda novos modelos de negócios

A Semana da Moda e Cultura 2020 organizada pela SCMC – Santa Catarina Moda e Cultura, plataforma de inovação e conexão entre indústria, varejo, academia, estudantes e comunidade, trouxe o tema “Conexões Convergentes” para sua edição online que acontece até o próximo sábado, dia 15 de agosto.

Dentro da programação, estiveram presentes em um bate-papo sobre Inovação nos Modelos de Negócio, Fabrício Garcia (VP da Magalu) e de Alberto Serrentino (Varese Retail), com mediação de Carlos Ferreirinha confira a transmissão na íntegra.

Ferreirinha apontou o novo comportamento de consumo que vem surgindo nesse momento de rupturas, novos desenhos e dinâmicas. São elas:

• Olhar para o Brasil: são muitas as referências de brasilidade que podem ser valorizadas;

• A pandemia vai passar e quando passar estaremos preparados? Precisamos estar prontos;

• Os consumidores têm buscado cada vez mais o belo, aquilo que educa o olhar;

• Ticket médio e conversão estão aumentando;

• O poder tem que estar na estratégia e nas pessoas;

• Os APPs reduzem a fricção nos diálogos com os consumidores;

• Nova jornada do consumo é mais objetiva e focada;

• A identidade de marca precisa ser explorada, isso é um ponto muito importante nesse momento;

• Storytelling – sua marca precisa contar uma história com que o consumidor se identifique;

• Momento colaborativo, não mais individualista.

Fabrício Garcia destacou o sistema de Omnichannel do Magazine Luiza, que é uma empresa que está há 63 anos no mercado e é super inovadora. Sobre o mercado brasileiro, o profissional acredita que aqui há bastante calor humano e criatividade, porém falta evoluir no aspecto tecnológico.

“O brasileiro é alegre, caloroso, amigável, somos referência em hospitalidade, humanização no atendimento. Mas o serviço só funciona bem quando as pessoas estão engajadas e treinadas”, comenta Fabrício.

Alberto Serrentino afirmou que há uma grande diferença entre o varejo daqui e o de fora porque falta disciplina para o brasileiro. “Uma empresa não consegue crescer somente baseada na criatividade”, disse.

Pós-pandemia

Para Fabrício, a digitalização tende a crescer cada vez mais, juntamente com os dados, informações importantes que guiam as empresas, além do foco nas pessoas e da customização.

Já Alberto acredita que os consumidores aprenderam a comprar de maneiras diferentes, porém, as empresas precisam ter uma estratégia clara para enfrentar momentos de crise, o que algumas vêm fazendo nesse momento. “As empresas e profissionais estão acreditando que podem mudar. A necessidade fez a virtude”, afirmou.

Fonte: Vanessa de Castro | Fotos: Reprodução