Sportswear promove seminário sobre mercado

A Sportswear Internacional, revista destinada ao segmento jeanswear, realizou no último dia 18.01 seu 2º seminário no Blu Hotel em Berlim e, reuniu uma série de especialistas em jeanswear.

Uma vez que todos os líderes da indústria do jeans e da sarja estão reunidos por alguns dias na capital alemã para visitarem os eventos Bread&Butter, Berlim Fashion Week, Berlim Fashion Designers e Premium, a publicação teve a iniciativa de discutir abertamente todos os temas emergentes atuais entre os mais avançados analistas denim do mundo, profissionais de marketing, editores de moda, CEOs, engenheiros, designers e empresários.

O seminário teve início com John Ryan, editor da Stores, que lança semanalmente a revista de varejo Retail Week. John usou exemplos de empresas de várias partes do mundo, que tem chamado a atenção dos clientes explorando o visual, as sensações e o inesperado. Como por exemplo, Non Jeans Shop com uma decoração absolutamente distinta do usual e a TreasureBond, na qual o foco são produtos com descontos e preços muito abaixo dos praticados. A intenção é trabalhar o outlet de uma maneira nova, que não desvalorize o produto e, ao mesmo tempo agregue valor à imagem da empresa. Ele considerou que o segredo está nos pequenos detalhes como, por exemplo, escolher locações pouco óbvias, como uma rua de um bairro pouco explorado por comércios, além de criar um foco bem definido: ético, club, religioso e etc. O denim sozinho não é suficiente, é necessário agregar mais produtos a ele.

Em seguida foi a vez de Niklas Mahrdt, fundador da e-fashion, portal que assessora as empresas a desenvolver um e-commerce funcional.
Niklas apresentou números que nos levam a compreender e mensurar a importância dos gadgets (ipads, ipods, smartphones e etc) na decisão de compra dos consumidores europeus e asiáticos. Segundo ele, 48% das pesquisas de compra e orçamentos são feitos online. Ele ainda comentou que julga como sendo prioridade a velocidade de resposta que deve ser imediata, jamais deixar para o dia seguinte. Os conteúdos devem ser bem escritos e com assuntos realmente pertinentes. Deve haver ações que visem trazer o cliente para o ambiente da empresa. Os clientes devem participar da estratégia da empresa.

Lojas norte-americanas como a Macy`s, por exemplo tem utilizado o tablet como ótima ferramenta de interação com o cliente, que tem a possibilidade de fazer uploads de looks que, após escolher, pode se ver imediatamente com uma sobreposição de imagens, ou seja, o cliente escolhe um vestido e se vê com ele no tablet. Este recurso é chamado de “magic fitting room”. No Japão já há lojas virtuais nos metrôs. O cliente vê o produto e escolhe o que deseja, passa seu celular com o leitor de códigos e os produtos escolhidos são entregues em sua residência no mesmo dia.

Dirk Hilmes, responsável por criar ambientes inesquecíveis de marcas famosas, falou da importância da atmosfera. Não espere mais o comum. Empresas como AbercrombieFitch encantam por ter em todas as lojas a cultura do lifestyle que vendem, pessoas belas e felizes se divertindo. Hilmes chama nossa atenção na busca de encontrarmos os elementos mais importantes de nossa marca e evidenciá-los, fazê-los impressionar nossos clientes.

Roberto Ventura, CEO da Den Store da Itália, defende a sustentabilidade e de que forma procuram imprimir este conceito em sua marca. Ventura explica que a marca tem como DNA a reciclagem, ou seja, os clientes ao levarem seus jeans velhos, recebem um desconto nas peças novas e as usadas são doadas. Há também a criação de objetos diversos com estes jeans, como por exemplo, decorações de paredes.

Enquanto Bernd Kolb, CEO do Clube de Marrakesh, através de imagens e dados chocantes levou-nos a refletir sobre uma perigosa realidade, o mau uso da água e como estamos poluindo o planeta de forma geral. Kolb apresentou uma perspectiva nada otimista para 2050. Se não mudarmos nossos hábitos imediatamente teremos 40% a menos de água para consumo.

Charline Ducas, especialista em tecidos sustentáveis da tecelagem Textile Exchange apresentou os projetos de pesquisas e ações que estão realizando na busca de novos métodos de cultivo de algodão com menos utilização de água. Grandes marcas como C&A, Nordstrom, H&M e Marithé e François Girbaud são entusiastas desta causa.

Novos desafios para os fornecedores da cadeia têxtil de denim

O assunto foi debatido e teve como foco as novas mudanças na cadeia de fornecedores de produtos têxteis. Marco Lucietti, da Isko, começou dizendo: “Hoje em dia há enormes mudanças no mercado. Diferentes países exigem diferentes estratégias e habilidades. Novos mercados muito lucrativos têm crescido consideravelmente, como por exemplo China, Índia, Turquia e Brasil. Hoje precisamos perceber as necessidades de cada um deles e responder com inovação. Tentamos trazer para o mercado todos os nossos sonhos e projetos, através de novos acabamentos, possibilidades de lavagens e construções de tecidos“, ressaltou.

Após o pequeno debate, foi a vez de Federica Albiero, da INVISTA European Denim LYCRA® explicar as novas tecnologias da INVISTA e os novos produtos que buscam o efeito do elastano com melhor desempenho. Ela demonstrou também como a fibra Bi composta T400, através de dois polímeros, confere toque e brilho diferenciado.

Michael Silver, da Silver Jeans, apresentou sua empresa e história pessoal. Silver afirmou que para levar sua marca ao patamar de destaque não economizou em pesquisa e valorização de seu pessoal. Uma de suas maiores preocupações é evitar que as celebridades que vestem sua roupa ou os varejistas sejam mais fortes que seu produto. “Meu produto não pode ser refém de nada e ninguém, precisa ser tão bom que seja incontestável”, disse o empresário.
Silver encerrou sua apresentação dizendo: “Quando minha cliente comenta com sua amiga que adorou o novo jeans que comprou, ela se torna neste momento, minha maior vendedora”.

Maurice Ohayon, CEO da Notify Jeans de Paris tem como clientes nomes como Stella McCartney, Karl Lagerfeld e Yves Saint Laurent. Maurice discursou sobre sua história e como foi difícil seu inicio. Seu atelier é ultra moderno, com vários detalhes em azul homenageando o jeans. Os clientes que visitam suas instalações são recepcionados pelos próprios profissionais (um para cada setor), ou seja, não há vendedor, e eles participam, se desejarem, de toda a elaboração dos artigos. O foco de sua empresa e produtos está concentrado na inspiração e seu amor pela arte.

Para finalizar o evento, um grupo de feras do mercado jeanswear formado por Enrique Silla, François Girbaud, Adriano Goldschmied, Panos Sofianos, David Rumsey, Ebru Ozaydin, Tony Tonnaer e Nish Soneji debateram o tema “A sustentabilidade é o caminho”. O grupo defendeu que a sustentabilidade deve ser foco de toda e qualquer marca. Há muitas complicações exigindo posicionamentos distintos em todas as etapas fabris como as questões de tratamentos químicos, origens das fibras e outros aspectos. O grande dilema e dificuldade é criar sustentabilidade com design e poder de venda, no final lucro é um fator sério que determina a viabilidade ou não de um produto.

ANDRÉ DUARTE – CONSULTOR DE BENEFICIAMENTO TÊXTIL | FOTO: DIVULGAÇÃO