Tesouro Pop

Enquanto vestiam seus uniformes de trabalho em busca do ouro, os mineradores sequer poderiam supôr o inestimável valor que sua própria indumentária alcançaria através dos movimentos da moda. Um verdadeiro tesouro pop, o denim atualmente extrapolou o visual todo-o-dia. A aparência icônica em azul índigo, ganhou status de luxo, e conquistou designers da alta costura. O visual lavado multiplicou-se em toques e aparências, elevando seu valor como matéria prima no mercado. Mais atraente e versátil para a indústria, e passando por uma feliz transformação de segmento poluente para verde o denim continua evoluindo sua leitura perante os movimentos da moda.


Os efeitos vintage permanecem como clássicos de muita estima para o mercado, aguardados pela imensa demanda do visual todo-o-dia. Mas a inconformidade do segmento mantém sua saga de transformação. E uma vez que o mercado denim experimentou beneficiamentos que alteraram suas características originais: estampas, tingimentos coloridos, resinas – o mercado foi acometido por uma espécie de deslumbramento global pelas possibilidades de tingimentos, toque e relevo proporcionadas por tais lavagens.


Com tantas possibilidades para o tecido, seu apelo comercial cresceu no mercado da moda. O resultado? A ampliação do seu espaço nas coleções, e o uso do material para um mix bem mais diversificado. As calças são o básico, o “feijão com arroz” do universo índigo. Atualmente o denim é usado para artigos com jeitão de alta costura ( e alguns realmente o são!).


O denim compõem um visual completo da cabeça aos pés. Estamos na era do “triple denim” e do jeans de luxo. O índigo é tão desejado, que atualiza e eleva o valor de acessórios como sapatos, luvas, mantas e até óculos. As portas do segmento estão se ampliando, e há uma maior aceitação para criações mais ousadas e novas aplicações. Para quem trabalha no segmento, não é apenas hora de comemorar, mas de evoluir.


VIVIAN DAVID / IMAGENS: VIVIAN DAVID