Tommy Hilfiger intensifica jornada pela sustentabilidade em novo programa

Buscando impulsionar uma visão de moda com zero desperdício e total acolhimento, a Tommy Hilfiger anunciou o “Make it Possible” (Faça isto possível, em tradução livre). Trata-se de um programa que define 24 metas relativas à circularidade e à inclusão até 2030.

Entre as metas sinalizadas pela Tommy, está o “Fazer circular”, que busca tornar produtos totalmente circulares e parte de um ciclo sustentável), e “Para a vida inteira”, visando atuar com sensibilidade aos limites do planeta, por exemplo, nas áreas de mudança climática, uso da terra, água doce e poluição química, desde o que compramos até onde vendemos.

Há ainda a meta de “Total acolhimento”, onde a marca tem visa inclusão e acessibilidade, e a de oferecer “Oportunidade para todos”, que foca na igualdade de acesso às oportunidades, sem barreiras dentro da Tommy Hilfiger.

O programa é impulsionado pela estratégia da matriz “Forward Fashion” da PVH Corp, um conjunto de 15 prioridades destinadas a reduzir os impactos negativos a zero, aumentar os impactos positivos a 100% e melhorar mais de 1 milhão de vidas em toda a cadeia de valor da empresa.

“Abri minha primeira loja, a People’s Place, em 1969 em minha cidade natal, Elmira, para pessoas de todas as origens se reunirem e compartilharem experiências empolgantes da cultura pop”, detalhou Tommy Hilfiger.

“À medida que nossa marca evoluiu ao longo dos anos, impulsionada por esse espírito inclusivo, também evoluiu nosso o compromisso com a sustentabilidade social e ambiental. Com o ‘Make it Possible’, iremos ainda mais longe com o nosso compromisso. Estamos trabalhando em direção à nossa visão com toda a organização focada nela e, embora ainda não estejamos lá, vamos chegar lá”, completou.

O “Make it Possible” sinaliza mais um passo da empresa rumo a sustentabilidade. Entre as principais conquistas até aqui, se incluem o lançamento do Tommy Hilfiger Adaptive, projetado para tornar o ato de se vestir mais fácil para adultos e crianças com deficiência, e o Tommy Hilfiger Fashion Frontier Challenge, um programa global voltado para apoiar empresas na etapa de start-up e scale-up que desenvolvem soluções para promover a inclusividade e a sustentabilidade na moda.

Mais recentemente, a Tommy Hilfiger lançou o People’s Place Program para promover a representação das comunidades negras, indígenas e de pessoas de cor (BIPOC) nas indústrias de moda e criatividade. Até o momento, mais de 80% dos estilistas da Tommy Hilfiger foram treinados em estratégias de design circular e, em 2019, 72% do algodão usado globalmente veio de fontes mais sustentáveis.

Além disso, 2 milhões de peças em denim foram finalizadas com menor impacto, reduzindo o consumo de água e energia. Cada coleção sazonal da marca inclui estilos mais sustentáveis, como evidenciado pelos modelos 50% mais sustentáveis planejados para a Primavera 2021, o dobro dos modelos da Primavera 2020.

“Nestes tempos de crise de saúde, humana, ambiental e econômica, compartilhamos a responsabilidade de encontrar soluções inovadoras que encorajem a inclusão e construam um futuro mais circular”, disse Martijn Hagman, CEO da Tommy Hilfiger Global e PVH Europe.

Fonte: Redação | Fotos: Divulgação