Vicunha apresenta oito novos artigos pautados pela sustentabilidade

Compartilhar histórias através da sustentabilidade dentro de um novo espírito do tempo – o Zeitgeist. Este foi o ponto de partida para o lançamento da nova coleção da Vicunha, apresentada no último dia 24 de novembro, durante a segunda edição do Online Stop Shop no formato digital, que contou com a presença de parceiros e colaboradores da empresa.

A coolhunter da Vicunha, Lorena Botti, abordou sobre o significado da palavra Zeitgeist que permeia o mundo e traduz cada época como os Baby Boomers que nasceram entre as décadas de 60 e 70, onde o movimento hippie teve destaque; a Geração X, nascidos entre 70 e 80, onde surgiram outras manifestações culturais como os punks; Geração Y, entre 80 e 90, com os clubbers, raves, música eletrônica; Geração Z, entre 90 e 2000, a era da informação, onde a internet começou a se popularizar e a estética athleisure foi ganhando espaço; e a Geração Alpha, nascidos entre 2000 e 2010, já imersos em toda a tecnologia. Todos esses movimentos impactam no comportamento e na moda.

“A terceira década do novo milênio inicia com abundância de informações, pessoas superconectadas, onde podemos afirmar que aceleramos uma década em um ano”, afirma Lorena Botti.

Segundo a coolhunter, houve também a valorização do coletivo e da sustentabilidade. “A sustentabilidade é um caminho aberto, amplo e em construção, que envolve uma grande história a ser contada. É hora de redesenhar o jeanswear com menos impacto, experimentando e testando novas possibilidades”, completou.

Trends

Durante o evento, Lorena apresentou as quatro principais tendências que vêm permeando o comportamento do consumidor e como elas influenciam o mundo da moda. São elas:

Eco Extremo

A tecnologia se une às colaborações na busca por opções mais conscientes. Surgem movimentos que questionam de onde vem os produtos que consumimos tanto em relação às roupas quanto à gastronomia. Neste tema, a indústria vem trabalhando a questão da rastreabilidade como o projeto da ABRAPA que rastreia o algodão até chegar na tecelagem. A ideia é que essa iniciativa chegue até o consumidor final.

Destaque para a estética upcycling com mistura de tecidos ou aspecto artesanal. No masculino também entram patches aplicados. Os detalhes passeiam entre os bordados, trabalhos de superfície e matelassê.

Para o masculino surge o estilo comfort em shapes amplos com tecidos elastizados como a jogger e sarjas em tons terrosos. O workwear vem mais romântico, nostálgico inspirado no campo.

Plant Based

O cultivo de plantas dentro de casa vem ganhando espaço, principalmente com a quarentena, trazendo bem-estar e aconchego. Além disso surge uma valorização por dietas baseadas também nas plantas.

Aqui entram o new safári com shorts clochards, jaquetas mais curtas, macacões, ombros com recortes e volumes e o workwear mais romântico e funcional. Visual campestre com calças largas. No masculino as calças são slims ou retas em tons terrosos ou acinzentados. O color blocking traz mix de cores nas jaquetas. Destaque ainda para as calças cargo e macacões com recortes com detalhes de bolsos.

Resíduos Positivos

A economia circular torna-se cada vez mais importante valorizando processos de transformação e investimento em gestão de resíduos como o algodão reciclado (pré e pós consumo industrial) entre outras fibras, evitando assim o descarte de materiais.

Destaque para o estilo upcycling, alfaiataria, wide leg, looks com contrastes de volumes, fits oversizeds, slouchy e vestidos mais justos com um mood anos 80. As jaquetas vêm curtinhas ou bomber exageradas. Detalhes de pedrarias, ombros marcados, franzidos e drapeados fazem sucesso. Lavagens contrastantes formam painéis geométricos.

Menos é Mais

Uma das tendências que se acelerou principalmente durante a pandemia do novo coronavírus, onde as pessoas começam a questionar o que é realmente necessário para viver, valorizando o consumo consciente e o minimalismo. As indústrias vêm trabalhando na economia de processos, principalmente com menos água e químicos.

Destaque para as jaquetas carpinteiro, croppeds com mangas bufantes ou oversizeds, bordados delicados, wide leg com aviamentos no tom prata e mom fit com puídos. Para o masculino as jaquetas surgem mais largas e a calça vem no estilo workwear com bolsos aparentes ou no relaxed fit. Os terrosos e neutros fazem sucesso assim como os roxos, lilases e lavanda.

Lançamentos

A Vicunha apresentou oito novos artigos pautados 100% pela sustentabilidade, valorizando os processos de transformação e investindo na gestão de resíduos e inovação de matérias-primas. São três lançamentos no denim e cinco no denim colour, com destaque para a utilização de corantes vindos da natureza, produzidos a partir de resíduos naturais renováveis e de fibras recicladas, incluindo o uso de algodão reciclado do pré e pós-consumo industrial.

“A nova coleção une as tendências de comportamento do indivíduo, da cadeia de moda e da indústria, propondo reflexões de como minimizar desperdícios, inovar em processos produtivos com cada vez menor impacto, utilizar o reaproveitamento como premissa e experimentar sempre, testando novas soluções. É preciso entender as transformações do mundo, aplicando-as de forma consciente e assertiva em nosso dia a dia”, comentou Andrea Fernandes, gerente geral de marketing e onteligência de mercado da Vicunha.

Entre os lançamentos está o Taiga, artigo mais sustentável da coleção que une o algodão reciclado, as tecnologias Tencel® e Refibra® da Lenzing (70% de polpa de celulose vinda de madeira de reflorestamento e 30% polpa de celulose vindo do algodão reciclado – sobras e resíduos de algodão) e o fioLycra® EcoMade (fabricado com 20% de material reciclado pré-consumo – sobras de produtos coletados nos locais de fabricação e misturadas com o fio virgem).

O artigo vem com peso de 9,4 oz, largura de 1,47 metros e power de 42%. Tingimento double denim em azul intenso. Todas essas tecnologias sustentáveis em um único artigo que mantém a mesma qualidade de outros produtos. Além disso, os fios de urdume são tintos através do processo Less Water com redução de água. Em lavanderia, podem ser realizados processos com puídos, lixados, stones, em tonalidades que vão dos mais escuros até os clareados.

No denim colour surge o Eco Forest com as mesmas fibras ecológicas do Taiga mais poliéster reciclado proveniente de garrafas pet, e trama preta. Construção sarja 3×1 de 9,2 oz, 48% de power e 1,33 metros de largura. Vem em quatro cores já tintas como o preto, marinho, castanho e verde escuro, proporcionando economia de água e tingimento em lavanderia. Perfeito para realizar desbotes, efeitos de bigodes e puídos menores.

Ainda no denim colour, há o Pantanal com ring suave que remete ao denim original, sarja 3×1, peso de 9,4 oz, 98% algodão e 2% elastano. Disponível nas cores marrom, preto e azul produzidas através do tingimento EarthColors® da empresa suíça Archroma, que realiza o reaproveitamento de resíduos de plantas, flores, frutas, todas matérias-primas vegetais. “São corantes sulfurosos biossintéticos, sintetizados a partir de sobras agrícolas não comestíveis como folhas de palmeiras do palmito, cascas de nozes, extração de ervas, como o alecrim, além de frutos”, afirma a Vicunha.

Em lavanderia podem ser realizados processos à laser, stonados com marcação de costuras evidenciando o efeito flamê, além de puídos manuais, marmorizados, useds. “Faz parte do DNA da Vicunha pensar na lavanderia quando desenvolve um novo produto, pensar em acabamentos cada vez mais sustentáveis, mas sem limitar somente a esses processos ecologicamente corretos”, destacouFábio Félix, coordenador de lavanderia da Vicunha.

O artigo Amazônia vem no algodão, lyocel® com as tecnologias sustentáveis da Lenzing, elastano com fio LYCRA® EcoMade®, peso de 9,5 oz e power de 44%, com trama branca e tinto no verde, castanho e azul, também com corantes naturais Earthcolors. Mantém grande versatilidade em lavanderia com reservas, amarrações, excelentes marcações e efeitos a laser.

Dentro da família Denim, o Zat Black Black ganha tingimento double black intenso, ideal para marcações de costura com cara do autêntico denim. Ele vem no 100% algodão reciclado, com 10oz, sarja 3×1, 1,70 de largura e diagonal marcada. Revela um brilho intenso e não puxa para o tom avermelhado de outros blacks. Excelente para processos a laser.

Já o Zatar vem com tingimento puro índigo super intenso, em algodão reciclado, elastomultiéster e elastano (fio LYCRA® Xtra Life), peso de 11,4 oz e power de 40% com máxima recuperação da forma e conforto.

“Seu tingimento puro índigo (Less Water) além de ser mais sustentável, proporciona diversos padrões de lavagem (do escuro ao claro) remetendo ao clássico visual authentic denim, onde podemos evidenciar ou não o efeito sal e pimenta”, comenta Fábio Felix.

O Renzo (denim colour) surge no 100% algodão recuperado no urdume e na trama, aspecto estruturado e natural e, estética clean. Com diagonal bem marcada, preserva as casquinhas de algodão na superfície. Ele vem com peso de 11,9 oz, largura de 1,66 metros. Em lavanderia, pode ser somente amaciado preservando suas características. Ainda responde muito bem à puídos manuais, entre outros processos.

Já o Astra (denim colour) vem no 100% algodão reciclado, com menor consumo de água, químicos e energéticos. Com peso de 11,4 oz, sarja 3×1, 1,65 metros de largura, perfeito para trabalhar com tingimentos com visual vintage. Em lavanderia, reproduz excelentes resultados com estonagens, costuras marcadas, sky bleach, marmorizados e pontos de luz.

Comunicar é a alma do negócio

Após tantas conquistas da cadeia de moda em relação à sustentabilidade fica a pergunta: Como comunicar todas essas tecnologias para o consumidor final, ávido por melhores práticas ambientais?

Chico Gonzalez, coordenador de moda da Vicunha aponta que além das tags informativas de cada empresa, que claro, legitima todas essas inovações, algumas marcas estão trabalhando o interior da peça como os forros de bolsos com estampas ou carimbos com infográficos e textos simples, mas fortes e ricos em conteúdo. Ótima alternativa que se mantém na peça e não será descartada após a compra.

É possível também utilizar a comunicação audiovisual com vídeos que prendam a atenção de forma rápida. A Vicunha oferece ainda uma tag onde informa todas as tecnologias disponíveis daquela peça.

Fonte: Vanessa | Fotos: Divulgação