Alanui dá um basta no isolamento social e sugere influência étnica

Nenhuma inspiração é mais curativa para o consumidor de moda atual, do que aquela que sugere a liberdade plena. É com este apelo terapêutico, que a Alanui apresentou sua coleção de Inverno 2021, equivalente ao Inverno 2022 brasileiro.

De acordo com a grife, se em 2020 nos isolamos, no futuro ansiamos pelo look andarilho carregado de influências e sentidos culturais diversos. Na paleta de cores, a Alanui claramente realizou uma curadoria de tons ligado à poeira da estrada. Nos detalhes, soube representar o vento através das franjas dos agasalhos e mesmo da bainha desfiada do jeans.

Para criar uma aliança com o jeans com “jeitão” de festival musical, Alanui propôs o conforto de sermos nossas próprias casas, representado pelo acolhimento do tricô.

O vintage foi a lavagem foco do denim apresentado na coleção da marca, que mesclou looks extremamente térmicos e carregados em camadas, com shorts jeans cavados em cortes oblíquos. E enquanto as peças curtas mantiveram as cinturas elevadas, o mix de calças buscou relaxar o entrepernas e expor o umbigo. Com cortes rígidos, e a superfície bastante trabalhada em marcas do tempo, a Alanui contemplou desde a modelagem skinny até a pantalona sequinha, beirando nas proporções a leitura do corte reto.

Além do visual envelhecido do jeans, os coloridos da marca adotaram os tons terrosos somados aos efeitos de reserva de pigmento do denim. Ao que tudo indica, é uma cor desejo para o próximo Inverno de 2022.

É interessante pensar que o look boho elaborado, tende a tomar a moda de rua com seu jeito místico e zen, com uma certa naturalidade. É bem provável que o repertório streetwear, se torne ainda mais variado, acolhendo referências antes bastante opostas do cenário de concreto.

Como análise direcional da apresentação de Alanui, fica em mente a consagração dos anos 70 como influência, que continua ecoando como efeito colateral pós-impacto da pandemia. Também o forte apelo comercial da combinação do tricô com o jeans vintage: é importante sugerir ambos juntos, como forma de reforçar a ideia de conforto. Porém, nada de abdicar o enfeite e a pegada aspiracional de uma coleção.

Pantalonas, são modelagens exigência para a estação, e cinturas baixas definitivamente devem voltar a figurar entre os lançamentos.

E mais do que nunca o tema, e a fantasia proposta pela marca, ganham relevância no planejamento das coleções. Ainda que separadas, as peças de uma coleção sejam extremamente familiares; a aspiração associada ao mix tende a ser mais elevada. Afinal, sonhar é uma demanda e uma carência do mercado que sempre funcionou como argumento comercial.

Fonte: Vivian David | Fotos: Reprodução