Algodão segue com preço em alta no Brasil

O preço do algodão no Brasil se manteve alta no último mês de março. O Índice CEPEA/ESALQ para a pluma subiu 5,4%, entre 25 de fevereiro e 31 março, segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA).

No último dia do mês, o Índice CEPEA/ESALQ fechou em R$ 7,2585/libra, estabelecendo um novo recorde desde o início da série CEPEA em 1996.

Entre os compradores, muitos processadores trabalharam com a pluma estocada e/ou receberam o produto adquirido anteriormente por causa dos níveis de preços durante o mês, informou o último relatório quinzenal do algodão brasileiro.

De acordo com colaboradores do CEPEA, alguns processadores trabalharam com capacidade reduzida, alegando dificuldades para vender os subprodutos e aumentaram seus preços. “Os varejistas relataram vendas fracas, pois o poder de compra dos brasileiros tem sido baixo. Algumas entregas e pagamentos foram até mesmo adiados. Por outro lado, os vendedores continuaram a pedir preços mais altos, restringindo a liquidez no mercado spot”.

A qualidade do algodão disponível também não atendeu aos requisitos dos processadores. Com isto, o relatório indica que as vendas acabaram sendo limitadas.

Fonte: Redação | Foto: Reprodução