Alta no custo e escassez de algodão geram preocupação na indústria têxtil

Afetado pelo isolamento social imposto para prevenção ao novo coronavírus, o setor têxtil agora se preocupa com a alta no custo e a escassez do fio de algodão no país. A falta de matéria-prima pode causar um avanço nos preços no varejo de vestuário, em um momento de avanço de vendas após o relaxamento das restrições de circulação em algumas partes do Brasil.

O preço do algodão para consumo interno disparou por conta do avanço do dólar em frente ao real, já que a cotação da pluma é baseada no mercado internacional. Com isso, as exportações se tornaram mais vantajosas e a escassez da matéria-prima disponível para fiação na indústria nacional já é uma preocupação palpável. A fibra responde por 50% a 60% do custo da fiação.

A Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), de acordo com a Revista Veja, afastou o pânico da situação e indicou que, por mais que os preços para o produtor subam, é pouco provável que exista necessidade de repasse no valor do produto final.

A afirmação foi contestada por Edmundo Lima, presidente da Associação Brasileira do Varejo Têxtil (Abvtex). “Começamos a perceber que o limite do que o varejo pode suportar em termos de redução de margens já foi ultrapassado […] Para não aumentar os preços dos produtos, as grandes varejistas estão em um momento de negociação. Mas os pequenos empreendedores, que têm lojas individuais, não têm esse poder de barganha”, apontou.

Em relação ao risco de desabastecimento, o presidente da Abit, Fernando Pimentel, indicou uma defasagem entre colheita e produção. “O varejo não acreditou em uma retomada rápida do mercado. Se as empresas tivessem comprado mercadorias durante a crise, se não tivessem fechado as portas para o recebimento das mercadorias, talvez e estivessem ‘nadando de braçada’ hoje”, afirmou.

“Poderiam estar com as lojas cheias de produtos. Bastava ter acreditado na retomada. Mas eu não julgo. Ninguém sabe do dia de amanhã”, acrescentou.

Fonte: Redação | Foto: Reprodução