American Apparel lança linha jeans

A marca americana American Apparel está decidida a ir além dos básicos e por isso acaba de lançar a sua primeira linha de jeans. “Ninguém faz básicos como nós”, afirmou o fundador e CEO da empresa, Dov Charney. “Dominamos a t-shirt básica e agora estamos a começar a ficar entusiasmados com o denim”, acrescentou.

Inspirados nos clássicos jeans americanos, esta nova linha, produzida nos Estados Unidos, está sendo produzida pelo novo diretor de denim da grife, Georges Atlan, um veterano da indústria e criador da Guess Jeans, ao lado de Georges Marciano, em 1980.

Com mais de 30 anos de desenvolvimento de produto e conhecimentos de gestão, Atlan foi a escolha de profissional ideal para as unidades de acabamentos e confecção da American Apparel na produção da nova linha: um processo que integra mais de 40 trabalhadores para conceber um único modelo de jeans.

As primeiras peças da linha são em denim 100% algodão, tecido que foi pensado pela empresa para ser utilizado durante anos. “Trabalhei na indústria do denim durante mais de três décadas, desenvolvendo para a Guess, Calvin Klein, Seven, Hudson e outras, mas esta era a oportunidade de, pela primeira vez, criar jeans verdadeiramente americanos e frescos”, revelou Atlan.

“Sei que as pessoas vão ficar contentes com o modo como se ajustam e vão adorar a forma como os seus corpos ficam neste produto. Não há mais nenhuma unidade de produção nos EUA como a da American Apparel, e não há limites ao que podemos conseguir na categoria do denim. Este é uma boa coleção de jeans para começar, e estamos apenas no início”, acrescentou.

Este lançamento surge na mesma altura em que, após rumores de falência, a American Apparel garantiu capital na ordem dos 15 milhões de dólares através da venda de 15,8 milhões de ações, que representam 20,3% da empresa, a um grupo de investidores privados liderados pelo canadense Michael Serruya e pela Delavaco Capital.

No início de abril, face aos rumores de quebra da empresa, Dov Charney afirmou que o anúncio da possível submissão de um pedido de proteção à falência é algo que fizeram como uma obrigação com os acionistas, para explicar que é uma possibilidade, embora remota. Ainda segundo Charney, dizer que a empresa é instável não é preciso.

Os rumores foram ainda reforçados após o anúncio dos resultados de 2010, em que a American Apparel, que emprega 12 mil pessoas, registrou um prejuízo de 86,3 milhões de dólares, com uma quebra de 4,6% das vendas totais e de 13,4% nas vendas comparáveis, para um total de 533 milhões de dólares.

PORTUGAL TÊXTIL | FOTO: REPRODUÇÃO