Análise dos principais apontamentos da feira

O encantamento do circo, e sua atmosfera de sonho – tema escolhido pelo evento global Première Vision Denim Inverno 2014/2015 – trouxe à tona com muita sutileza, a grande “sacada” do segmento jeanswear, capaz de driblar crises e “abocanhar” comportamentos de consumo de outros segmentos: criatividade e inovação. A dedicação em seguir com coerência a temática escolhida nos mínimos detalhes evidenciou uma convicção unânime entre os influentes jogadores do segmento, de que mesmo o jeans “caro” é capaz de assegurar bom desempenho e competitividade no mercado, quando capaz de surpreender através da criatividade.


Personagens de cartola, carrosel, pipocas e decoração de espetáculo circense estavam por toda a parte. A interpretação do tema trouxe inspiração de alguns personagens do picadeiro para as principais propostas em lavagens, tecidos, cores, características do denim e aviamentos. Assim, a flexibilidade do contorcionista justificou o desempenho aguçado do denim stretch como um grande apontamento para o segmento. Já os inevitáveis acidentes do equilibrista motivaram interpretações para o jeans rasgado e desbotado norteando design e acabamentos. Os efeitos visuais inacreditáveis do ilusionista foram representados nas estampas com efeitos 3D, saliências, e aparências holográficas. Por fim, o personagem do domador, foi utilizado para retratar os avanços quanto aos tingimentos coloridos, agora mais descomplicados inclusive nas nuances macias e suaves.



Para oportunizar aos leitores uma síntese das propostas mais significativas da feira, contemplaremos nesta matéria os principais tópicos agrupados no evento: ambiências conceituais, metais, etiquetas, aviamentos, lavagens, estampas, cores, eco-novidades da Jeanologia e detalhes. Já na galeria, proporcionamos o máximo de informações, visando efetivamente transmitir numerosas referências de moda para o inverno 2014-15.


INOVAÇÕES NO DENIM
O conforto e o movimento aparecem no novo jeans ultra stretch, muito mais elástico que as versões anteriores reproduzindo com fidelidade aparência de denim premium. Mas o principal desafio é o retorno, o novo stretch não se deforma e nem perde a elasticidade após o uso, não sendo necessário lavar o jeans para que ele volte ao formato natural. É tão maleável como a malha. Além do stretch, a grande novidade do segmento foi sua “intromissão” na malharia retilínea, através dos tricôs trabalhados com fio denim e acabamento estonado. O denim foi explorado também no mix com a seda, moletom, em gravatas e até capa de computador.


METAIS
Como resposta à tendência dos jeans mais escuros, e a predominância da cartela cinza, black e azul profunda para o inverno 2014-15, os metais e demais aviamentos surgem mais brilhantes para se destacar no tecido lavado. Botões flexíveis, rebites e tachas em especial apresentam também, além do brilho, uma proposta colorida, com exemplares de diferentes formas esmaltados em verde folha, vermelho desgastado e principalmente azul cobalto. Nas nuances metalizadas, o cobre permanece em alta, seguido do dourado – ambos modernizados por texturas e efeitos desgastados. Para acompanhar o denim mais escuro nas propostas de discrição, constaram também os acessórios em black esmaltado.


ETIQUETAS E FECHOS
Na categoria vintage, temos etiquetas irregulares lembrando o formato de um pedaço de papelão rasgado, ou partido e costurado. Também a mistura de texturas e nuances queimadas. Já no repertório de etiquetas coloridas, a paleta seguiu com fidelidade os metais, em vermelho, verde e azul cobalto podendo ganhar efeitos desgastados. Tais cores podem receber inclusão na logomarca repetida e estampada sobre base neutra. Na categoria brilhos, as etiquetas foram “metalizadas” por texturas no próprio material desgastado, bases holográficas ou através da aplicação organizada de metais. Em suma, os acessórios foram pensados para se destacar, e sobressair em bases escuras. A mesma lógica é seguida pelos fechos de metal, que se diferenciam por cadarços metalizados ou rendados formulados para aplicação externa. Puxadores cobre, dourado e prata são polidos como um toque caprichoso no jeans, e não envelhecidos ou foscos.


LAVAGEM
Lavanderias intensas com lixados longos para valorizar o tingimento mais escuro do jeans. As textura peroladas, ou metalizadas já vistas no verão adquirem versão invernal através dos tons mais intensos e aumento da densidade e do conforto. Foil emborrachados, e tecidos dupla face com lado direito metalizado e interno colorido ou índigo natural. Cartela de coloridos macios e suaves “domada” por processos simplificados. Azul cobalto e luz fria metálica do hemisfério norte. Manchados em alta, inclusive com interpretações multicoloridas. Permanência do vintage, com mix de tecidos e patchwork evidenciado pelo laser. Mix de materiais colados “sujando” o jeans – este, um tôpico com notabilidade na feira.




JEANOLOGIA
O corte à laser, dedicado especialmente à alta costura, proporcionando o efeito de finos bordados e vazados. Em especial o denim com visual de renda guipire, impressionou bastante pela riqueza e detalhamento dos desenhos. Já para o jeanswear, a conveniência proporcionada pelo laser, de misturar diferentes efeitos visuais de lavagens em patches do mesmo tecido, impulsionou misturas mais poluídas e corajosas no denim. Os patches se multiplicam, e tendem a influenciar bastante a fisionomia do segmento. Tanto a lavagem waterless, de ozônio, quanto o laser, ganham cada vez mais espaço na moda jeanswear global. Por representarem um aumento no preço final, os fabricantes e estilistas estão explorando a tecnologia com o máximo de criatividade, para tornar o jeans algo precioso que justifique o valor mais elevado. Pesquisas apontam que o consumidor não paga mais apenas para salvar o planeta, ele também precisa de um retorno em termos de produto, caimento, detalhes etc….



TINGIMENTOS COLORIDOS
Nas cartelas mais saturadas temos o azul cobalto, o vermelho e o pink. Porém a grande influência que emerge, é a suavidade da cor, com tons macios mais competitivos graças à processos mais descomplicados de tingimento. As cores dessa estação são apasteladas e lavadas pelo tom acinzentado.


PADRONAGENS E ESTAMPAS 3D
Cashemeres com visual profundo em índigo, ou com os desenhos coloridos sobre base escura. phytom dissimulado por desenhos pequenos. Quadriculados irregulares estilo vichy “desgastado” ou irregular em escalas “estouradas” na peça. Microprints estilo gravataria, como poás ou motivos de camisaria. Estampas psicodélicas buscando visual multicolorido “tal qual um ilusionista”. As estampas podem ganhar relevo 3D, com tinta puff emborrachada ou com toque “velvet” (aveludado). O desenho pode vir “camuflado” pelo mesmo tom da base do tecido, tom sobre tom, ou saliente por múltiplas cores “saltitantes” no mesmo. A estampa aveludada é feitas pelo desgaste à laser em determinados pontos: técnica que permite criar desenhos muito mais elaborados, e é este o caminho que os fabricantes estão seguindo, com muitas estampas barrocas e indianas.


DETALHES
Bolsos traseiros mais limpos, ênfase em fechos e aviamentos especialmente no estilo biker que não esgotou suas possibilidades. O detalhe, ganha mais foco por texturas criadas por lavagens, bordados, devorês, manchas, respingos de tinta ou mistura de materiais. No contraponto do visual corriqueiro dos bolsos traseiros, as palas ganham mais ênfase através de novos formatos ou martingales diferenciados.

VIVIAN DAVID / FOTOS: EQUIPE GUIAJEANSWEAR