Caruaru é a primeira cidade a receber a edição regional

Caruaru foi a cidade escolhida para sediar pela primeira vez o evento Denim Meeting Regional, realizado na última quinta- feira, dia 31 de agosto, no Armazém da Criatividade. Com o objetivo de levar para os polos confeccionistas especialistas reconhecidos no setor e apresentar ferramentas de novas tecnologias e inovação, o evento surge com a proposta de produzir mais qualidade no jeanswear do Brasil.

De acordo com Marlene Fernandes, CEO do Portal Guia Jeanswear, organizador do evento, a ideia é: além do Denim Meeting, que alcançou o objetivo de aproximar todos os profissionais da cadeia produtiva de confecção do segmento do jeans, promover na região, cursos, workshops e oficinas, para atender as necessidades do mercado local. E a palavra do confeccionista é fundamental para validar o evento.

Na programação, os visitantes puderam conhecer os painéis de tendências das empresas patrocinadoras com artigos e peças customizadas das tecelagens e demais produtos. As palestras abordaram desde as tendências e oportunidades de novos artigos no jeanswear, até a morfologia e inspirações futuristas. Foram apresentados Processos de customização do jeans, a palestra: Os hábitos de consumo. Do guarda-roupa à loja: um estudo global da marca LYCRA® sobre os hábitos de consumo de jeanswear, com Robson Ferreira, gerente de negócios de tecido plano na América do Sul, além de temas como as Tendências em Marketing: fashion branding e varejo digital por Paula Dias, diretora executiva da Consumix , empresa expert em Branding, E-Branding, Marketing Digital e Planejamento Estratégico de Comunicação, e ainda o case de sucesso: Inovações e estratégias que levaram Eduardo Cristian ao sucesso com a marca jeanswear Black West.

Para Gilson Gonçalves, do setor de moda e confecção do Sebrae Caruaru, o evento agrega maior competitividade aos produtos da região. Ele acredita que o Denim Meeting é estratégico, pois o jeans representa 20% do que se produz em confecção em Pernambuco e precisa como valor agregado ter tecnologia e inovação. No que concorda também o expositor da Têxtil Canatiba Fábio Covolan, “o formato é excelente, descomplicado, prático e fácil para se fazer negócios e contatos com futuros clientes”, ressalta Fabio.

Já Francisco Gonzalez da Vicunha Têxtil, diz que o evento é uma oportunidade da tecelagem apresentar acabamentos diferenciados, tecidos com mais conforto, com toque na peça para o cliente poder sentir. “A resposta do público superou nossas expectativas. A receptividade no algodão reciclado que reduz o consumo de água em até 80% foi muito boa, e respondendo de forma muito positiva a nossa linha de malharia”, apontou Gonzalez.

diretora de marketing da Santana Têxtil, Airam Pagliosa, destacou as novidades em beneficiamento do poliéster, o grande diferencial da empresa, além de tecidos novos e a coleção de super stretch, que puderam ser apresentados no evento. Para ela é uma oportunidade de troca de informação. “Integração comercial, enaltecendo a indústria de confecção, em um modelo de negócio pontual. Diferente de outras regiões do país, aqui elencamos uma maior possibilidade de desenvolvimento, no que temos muito o que aprender e compartilhar”, declarou o engenheiro da Silmaq, e também palestrante do Denim Meeting, Bruno Brandão. O diretor de marketing da Haco, desenvolvedora de identificação de marcas, se surpreendeu com a receptividade do público para com os seus produtos, já vendidos em 38 países e que conta também com representante na região. Já, Rafael Dantas, da empresa SRJ, fabricante de jeans masculino e feminino juvenil, afirma que o espaço possibilitou o fomento de novos negócios, além de preparar as empresas para competir com o mercado nacional.

Depois de tanta informação e networking o evento proporcionou também o “Fórum de Inovação, tecnologia e produtividade com valor percebido”, mediado pelo ativista da moda, Leopoldo Nóbrega que, contou com a participação das principais tecelagens brasileiras (Vicunha, Santista, Santana e Canatiba) para discutir o mercado e que melhorias elas podem proporcionar.

Segundo Leopoldo, o Denim Meeting veio oxigenar o mercado de moda de Pernambuco com foco no jeans e na produção do Agreste, no ranking do 2º maior produtor de jeans do Brasil. As tecelagens afirmaram que existe uma lacuna na acessibilidade de seus produtos e tecnologias para a região. No entanto, foi apontado que o papel do atacadista nesse contexto tem contribuído para dificultar esse acesso. Um dos temas altos da mesa, foi esse questionamento do mercado local de Pernambuco.

Os participantes da mesa expuseram sua realidade e o público pode contrapor suas visões e ficaram claros os modelos que já não funcionam mais dentro deste elo produtivo. Durante o Fórum vários problemas históricos vieram à tona, o que fizeram as tecelagens repensarem as suas participações dentro deste cenário, ficando claro a necessidade de um novo desenho para o desenvolvimento local e a requalificação dos representantes locais, tornando-os também uma ouvidoria e não apenas um profissional para tirar pedido. Além do papel do atravessador, se é bom ou não para o mercado, se trava e dificulta o acesso aos novos produtos, que se repetem ou se limitam dentro dessa acessibilidade.

Como criador e ativista, Leopoldo lembra das suas experiências e das dificuldades para conseguir matéria-prima através de seus representantes que sempre informam que os novos produtos e tecnologias não são fáceis para chegar na região e que não adianta nada pedir porque os produtos. Por outro lado, curiosamente as tecelagens informaram que isso não é problema, que estão abertas a vender produtos a partir de 60metros. Todos concordaram que é preciso urgentemente estreitar esse elo, passando por criadores e designers. Todos perdem com isso, porque as tecelagens não têm de fato o reflexo do que se quer no mercado da região. Isso é muitas vezes proporcionado pelos atacadistas que seguram seus estoques para uma venda local de pronta-entrega que distancia esse cenário das atualidades e tecnologias.

“O evento pode aquecer essa realidade e trazer à tona essa realidade de dificuldade de acesso aos produtos e reposicionar a tecelagem como elo principal dessa cadeia. Além de abrir portas para fomentar novos encontros na região, como patrocinadores do calendário de moda e informação, tecnologia e conteúdo de tendências trazendo a região para a competitividade do cenário nacional”, conclui Nóbrega.

Ele acredita ser de fundamental importância encontros como este, viabilizando o diálogo entre as tecelagens e os confeccionistas para que eles possam crescer no mesmo ritmo das demais regiões do país, de forma integrada reposicionando e requalificando os representantes locais inserindo-os como parceiros dessa mudança dentro e fora do ambiente produtivo com o maior valor agregado. “O Fórum foi um marco trazendo luz às necessidades do mercado, trazendo informação e difusão, além do acesso aos produtos e a oportunidade de trazer à tona as necessidades locais do mercado que há tanto tempo vem sofrendo com modelos de negócios que não valorizam essa informação e acesso aos produtos”, vislumbrou o ativista. “Eu acredito que após esse ímpar momento teremos um novo reflexo dessa realidade e os elos vão poder se comunicar melhor e redesenhar a sua estrutura de logística bem como de compreensão das necessidades do cenário local e trazê-los de certa forma ao caminho global de diálogo com a moda no Brasil e no mundo”, finalizou Leopoldo.Agora é se preparar para a próxima edição do Denim Meeting que acontece em Fortaleza, no dia 05 de outubro, em parceria com a Fcem, durante a Maquintex.

Fonte | Assinatura: IRIS ALACOQUE | FOTOS: EQUIPE GUIA JEANSWEAR / RENAND ZOVCK